Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/12299
Title: Matemática : que tensão é essa? : um estudo sobre as representações sociais de um grupo de alunos da primeira série do Ensino Médio de um Instituto Federal mineiro.
Authors: Jesus, Rossely Valoni de
metadata.dc.contributor.advisor: Torisu, Edmilson Minoru
Keywords: Educação matemática
Representação social da matemática
Ensino médio
Issue Date: 2020
metadata.dc.contributor.referee: Torisu, Edmilson Minoru
Ribeiro, Luiz Paulo
Deodato, André Augusto
Citation: JESUS, Rossely Valoni de. Matemática: que tensão é essa?: um estudo sobre as representações sociais de um grupo de alunos da primeira série do Ensino Médio de um Instituto Federal mineiro. 2020. 164 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2020.
Abstract: Percebe-se que algumas pessoas compartilham da ideia de que a Matemática é uma disciplina importante e indispensável no desenvolvimento científico e de outras áreas. Ao mesmo tempo, consensos sobre ela como algo “difícil”, “reservada a poucos” são criados e compartilhados por alguns estudantes, professores, pais, mídia e sociedade em geral. Não é raro ouvirmos relatos de pessoas que experimentaram algum momento ruim com a Matemática. Esses relatos compartilhados e os mitos criados contribuem para o desenvolvimento de sentimentos relacionados a essa disciplina como medo e aversão que, de alguma forma, interferem no processo de aprendizagem dessa disciplina. Considerando essa situação, compreende-se que, ao entender os motivos dessa rejeição, podem-se buscar intervenções com o intuito de tornar o ensino da Matemática mais atrativo e menos árido. Diante desse quadro, buscou-se investigar se a Matemática é algo que tensiona um grupo de estudantes e, se isso ocorrer, investigar como essas tensões mudam a forma de pensar, sentir e agir. A pesquisa baseou-se na Teoria das Representações Sociais proposta por Moscovici em 1978 e seus desdobramentos, particularmente a abordagem dimensional/processual definida por Jodelet em 2001. Os dados foram coletados por meio de questionário e entrevistas a 10 estudantes da 1ª série do Ensino Médio de um Instituto Federal do Estado de Minas Gerais e analisados a partir das dimensões criadas por Ramos em sua pesquisa de doutorado em 2003 e interpretados à luz da Teoria das Representações Sociais. Os resultados evidenciaram que, para os estudantes da pesquisa, a linguagem própria da Matemática dificulta sua aprendizagem e a explicação do professor serve para facilitar ou dificultar esse processo. Sua dedicação aos estudos e atenção às explicações do professor contribuem para o sucesso nessa disciplina. Um relacionamento ruim entre estudante e professor pode gerar desinteresse pela aprendizagem da Matemática. O gosto pelo estudo, embora muitos dos estudantes tenham revelado dificuldades para aprender Matemática, é justificado a partir da utilidade percebida nos conteúdos dessa disciplina para a futura profissão. A superação do medo, a dedicação aos estudos e o amparo do professor contribuíram para o aumento da motivação para aprender. As representações sociais de familiares, professores, amigos e colegas de sala de aula influenciaram nas representações desses estudantes. A ideia estereotipada de que “tudo tem Matemática” foi mencionada várias vezes por eles. A Matemática como algo útil, algo fácil e algo pouco útil são algumas das representações sociais que tencionaram os estudantes. A partir de uma reflexão sobre as representações sociais dos estudantes frente à Matemática é possível que o professor intervenha na sala de aula de modo a amenizar o quadro de rejeição diante dessa disciplina. Esse estudo pode proporcionar uma investigação capaz de dar voz ao estudante de modo a colocar em relevo a sua forma de pensar, sentir e agir sobre a Matemática.
metadata.dc.description.abstracten: We observed that some people share the idea that mathematics is an important and indispensable discipline in scientific development and in the development of other areas. At the same time, consensus on it as something "difficult", "reserved for a few people" is created and shared by some students, teachers, parents, the media and society in general. It is not uncommon to hear reports from people who have experienced a bad time with mathematics. These shared reports and the myths created contribute to the development of feelings related to this discipline, such as fear and aversion, which, in some way, interfere in the learning process of this discipline. Considering this situation, it is understood that, when understanding the reasons for this rejection, one can find interventions in order to make the teaching of mathematics more attractive and less arid. Given this situation, we decided to investigate if Mathematics is something that tensions a group of students and, if it does, investigate how these tensions change the way of thinkimg, feelimg and acting. The research was based on the Social Representations Theory proposed by Moscovici in 1978 and its developments, particularly the dimensional / procedural approach defined by Jodelet in 2001. The data were collected through a questionnaire and interviews with 10 students from the 1st grade of high school at a Federal Institute of the State of Minas Gerais and analyzed from the dimensions created by Ramos in her doctoral research and interpreted in the light of the Theory of Social Representations. The results showed that, for the research students, the language of Mathematics hinders their learning and the teacher's explanation serves to facilitate or to difficult this process. His dedication to studies and attention to the teacher's explanations contribute to success in this discipline. A bad relationship between student and teacher can generate disinterest in learning mathematics. The taste for study, although many of the students have shown difficulties in learning mathematics, is justified by the perceived usefulness in the contents of this discipline for the future profession. Overcoming fear, dedication to studies and the support of the teacher contributed to increase motivation to learn. The social representations of family members, teachers, friends and classmates influenced the representations of these students. The stereotyped idea that “everything has Mathematics” was mentioned several times by them. Mathematics as something useful, something easy and something not very useful are some of the social representations that the students intended. From a reflection on the social representations of students in relation to Mathematics, it is possible for the teacher to intervene in the classroom in order to ease the situation of rejection in the face of this discipline. This study can provide an investigation capable of giving the student a voice in order to highlight his way of thinking, feeling and acting on Mathematics.
Description: Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática. Departamento de Matemática, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/12299
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 25/05/2020 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Appears in Collections:PPGEDMAT - Mestrado profissional (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_MatemáticaTensãoEstudo.pdf5,36 MBAdobe PDFView/Open
PRODUTO_JornadaRumoFormas.pdf6,36 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons