Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/9910
Título: Controles tectônicos na sedimentação e empilhamento estratigráfico da formação Salinas, Orógeno Araçuaí, MG.
Autor(es): Costa, Felipe Garcia Domingues da
Orientador(es): Alkmim, Fernando Flecha de
Magalhães, Pierre Muzzi
Lopes, Marcos Roberto Fetter
Palavras-chave: Orógeno Araçuaí - MG
Sedimentação e depósitos
Turbiditos
Data do documento: 2018
Membros da banca: Reis, Humberto Luis Siqueira
Marconato, André
Alkmim, Fernando Flecha de
Referência: COSTA, Felipe Garcia Domingues da. Controles tectônicos na sedimentação e empilhamento estratigráfico da formação Salinas, Orógeno Araçuaí, MG. 2018. 165 f. Dissertação (Mestrado em Evolução Crustal e Recursos Naturais) – Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018.
Resumo: A Formação Salinas, exposta nas vizinhanças de cidade homônima, é a unidade litoestratigráfica supracrustal mais jovem caracterizada no Orógeno Araçuaí. O registro sedimentar descrito na Formação Salinas denota o preenchimento sedimentar nos últimos estágios de edificação do orógeno e seu empilhamento estratigráfico pode ser caracterizado como um complexo de leques turbidíticos amalgamados sin-orogênicos, consistindo em um autêntico depósito do tipo flysch. Fundamentada na coleta de dados em campo, a análise sedimentológica foi pautada por descrições das rochas em levantamentos estratigráficos sistemáticos em alta resolução (escala 1:10) ao longo de diversas seções e pontos de controle. Para sintetizar a grande quantidade de dados, gráficos do tipo Fischer foram utilizados para evidenciar as mudanças nos padrões de sedimentação e possibilitar a identificação de intervalos deposicionais. A deformação dos sedimentos tem caráter sin-deposicional, exibindo uma diversidade de estruturas e arranjos nas rochas alocadas entre estratos indeformados. Por ser um sítio deposicional tectonicamente ativo, os mecanismos de deformação associados à sismicidade da bacia são esperados, porém também são observados conjuntos de estruturas deformacionais cuja origem pode ser admitida como inerente ao processo deposicional. Neste caso, espera-se que as interações entre a corrente de turbidez e os obstáculos do leito deposicional irregular promovam parte da deformação sin-sedimentar registrada. O arranjo estrutural da bacia aponta para uma sequência de sinformas alinhadas segundo o padrão N-NE com vergência definida para NW, ou seja, em direção ao cráton, oposta ao movimento de massa registrado pelas estruturas de deformação sin-sedimentares. A sedimentação por correntes de turbidez se faz pelo preenchimento de calhas assimétricas e, dado o afastamento progressivamente maior entre os traços axiais das dobras, o depocentro principal da bacia se amplia no sentido SSW. As medidas de paleocorrente obtidas em estruturas menos móveis apontam para o movimento principal do fluxo tubidítico de N-NE para SW, enquanto que estruturas relacionadas ao fluxo turbulento mais móvel e estruturas deformacionais assimétricas como vergência de dobras convolutas mostram um vetor principal de movimento para o quadrante SE. A assimetria das calhas que moldaram o leito deposicional fez com que as frações turbulentas das correntes turbidíticas bipartidas fossem dirigidas em direção a porção mais profunda das calhas localizadas no quadrante SE, preservando-as. Obtida por análise geocronológica U/Pb realizada neste trabalho, a idade de 594±10 Ma pode ser considerada como a idade máxima da sedimentação da Formação Salinas. Idades ao redor de 600 Ma compõem o grupo principal do espectro de idades dos sedimentos analisados que, segundo o panorama geológico do Orógeno Araçuaí, apenas encontram correspondência nas rochas originadas pelo Arco magmático Rio Doce. Devido a posição geográfica desfavorável, é necessário um sistema de drenagem em dois estágios para conectar a área-fonte com a bacia Salinas.
Resumo em outra língua: The Salinas Formation, exposed near the Salinas town (MG, Brazil), is the youngest supracrustal lithostratigraphic unit characterized in the Araçuaí Orogen. The sedimentary record described in the Salinas Formation indicate the sedimentary filling in the last stages of orogenic construction and its stratigraphic stacking can be characterized as a syn-orogenic complex of turbiditic amalgamated fans, consisting of an authentic flysch deposit. The sedimentological analysis was based on systematic rock description conducted during high resolution field surveys (scale 1:10) and along several sections and control points. To synthesize the large amount of data, Fischer-type graphs were used to evidence the changes in sedimentation patterns and to enable the identification of depositional intervals. Much of the deformational structures observed in the (meta)sedimentary rocks of the Salinas Formation has a syn-depositional character, marked by a diversity of structures and patterns allocated between undeformed strata. The overall characteristics of the studied strata indicate a tectonically active where sediment deformation mechanisms associated with seismicity might be expected. The origin of some sets of deformational structures may be admitted as inherent to the depositional process, generated by the interaction between turbidity current and obstacles of the irregular depositional bed. The basin structural framework is composed by a sequence of folds axis oriented N-NE and vergence toward the craton (NW sense). This movement is opposite to the mass movement recorded by the syn-sedimentary deformation structures. The distance between the axial traces of the folds is progressively greater in the SSW direction, widening the main depocenter of the basin. The sedimentation by turbidity currents fill the asymmetric synforms and the paleocurrent measurements obtained in less mobile structures (e.g. flute and groove marks) point to the main movement of the turbiditic flow from N-NE to SW. The sedimentary structures related to the more mobile turbulent flow (e.g. ripple marks) and the asymmetric deformational structures like convoluted folds show a main vector of movement for the SE quadrant. The asymmetry of the synforms and the irregular morphology of the substrate induced the turbulent fractions of the bipartite turbidic currents to be directed toward the deeper portion of the minor synforms located in the SE quadrant, preserving them. Geochronological U/Pb analysis pointed out the age of 594±10 Ma as the maximum sedimentation age of the Salinas Formation. The main group whitin the age spectrum of the analyzed (meta)sedimentary rocks are composed of ages around 600 Ma that, according to the geological panorama of the Araçuaí Orogen, only find correspondence in the rocks originated by the Rio Doce magmatic Arc. Due to the unfavorable geographical position, a two-stage drainage system is required to connect the source area of the sediments to the Salinas deposicional basin.
Descrição: Programa de Pós-Graduação em Evolução Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/9910
Licença: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo autor(a), 03/05/2018, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Aparece nas coleções:PPGECRN - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_ControlesTectônicosSedimentação.pdf18,4 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.