Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10615
Título: Caminhos para a liberdade : Perdigão Malheiro e o problema da escravidão nas linguagens do ideário político e antiescravista, 1863-1872.
Autor(es): Santana, Rogério Barreto
Orientador(es): Joly, Fábio Duarte
Palavras-chave: Escravidão
Liberdade
Brasil - história
Perdigão Malheiro
Data do documento: 2018
Membros da banca: Joly, Fábio Duarte
Gonçalves, Andréa Lisly
Chaves, Cláudia Maria das Graças
Marquese, Rafael de Bivar
Parron, Tãmis Peixoto
Referência: SANTANA, Rogério Barreto. Caminhos para a liberdade : Perdigão Malheiro e o problema da escravidão nas linguagens do ideário político e antiescravista, 1863-1872. 2018. 238 f. Tese (Doutorado em História) - Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2018.
Resumo: Escravidão e liberdade são dois assuntos consagrados na historiografia mundial. Não obstante os pesquisadores os tenham abordado sob diferentes ângulos e de forma por vezes exaustiva, o mesmo não se aplica quando ambos convergem em direção a uma interpretação possível das suas relações com o ideário de políticos, juristas e antiescravistas brasileiros. O problema é agravado quando se pensa sobre os usos e a variação de suas linguagens, bem como sua concepção de história e práticas na década de 1860 – quando, com as implicações da Guerra Civil Americana (1861-1865), instalou-se um período de crise da instituição secular nas regiões periféricas do sistema mundial onde a escravidão ainda subsistia. Nesse contexto, diferentes atores do Novo e do Velho mundos recorreram a comparações sistemáticas do elemento servil no tempo e no espaço com o objetivo de depreender das experiências passadas e coevas os meios pelos quais seria possível encaminhar politicamente o fim do cativeiro conforme a sua realidade e necessidades pontuais. Tomando Agostinho Marques Perdigão Malheiro (1824- 1881) – e suas principais referências intelectuais sobre a história da escravidão Antiga ou Moderna – como ponto de partida para uma análise abrangente do período e do tema, dedico esta tese ao estudo da recepção de tais ideias. Estas não se restringiram ao último país das Américas a abolir a escravidão tampouco se limitaram aos “muros” convencionais dos Estados nacionais. Correlacionado a fatores políticos, econômicos e sociais, todo esse ideário compartilhado entre os séculos XVIII e XIX ajudou a elevar a um novo patamar os debates pela emancipação dos sujeitos escravizados neste e noutros territórios, interferindo assim na construção do seu porvir.
Resumo em outra língua: Slavery and freedom are two themes cherished by world historiography. Although scholars have analyzed them, sometimes exhaustively, from different perspectives, it is still missing a proper interpretation of their relations with the ideals of Brazilian politicians, jurists and antislavery thinkers. The problem is aggravated when one thinks about the uses and variations of their languages, as well as their conception of history and practices in the 1860s – when the implications of the American Civil War (1861-1865) opened a period of crisis of the secular institution in the peripheral regions of the world system where slavery still subsisted. In this context, different actors of the New and Old World have tried systematic comparisons of slavery, in time and space, in order to understand past and contemporaneous experiences and so discuss how to politically deal with the end of the captivity according to certain realities and needs. Taking Agostinho Marques Perdigão Malheiro (1824-1881) – and his main intellectual references on the history of ancient or modern slavery – as a starting point for a comprehensive analysis of this theme, the thesis studies the reception of such ideas. These were not restricted to the last nation of the Americas to abolish slavery, nor were they limited to the conventional boundaries of national states. Correlated with political, economic and social factors, a whole set of ideas between the eighteenth and nineteenth centuries contributed to raise the debates about the emancipation of slaves in Brazil and other territories, thus interfering in the construction of their future.
Descrição: Programa de Pós-Graduação em História. Departamento de História, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10615
Licença: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 15/11/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Aparece nas coleções:PPGHis - Doutorado (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_CaminhosLiberdadePerdigão.pdf1,9 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.