Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10012
Título: Avaliação das propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes de Morus nigra L. (blackberry) em um modelo murino de sepse induzido por LPS.
Autor(es): Lúcio, Karine de Pádua
Orientador(es): Costa, Daniela Caldeira
Calsavara, Allan Jefferson Cruz
Palavras-chave: Septicemia
Inflamação
Data do documento: 2018
Membros da banca: Costa, Daniela Caldeira
Souza, Gustavo Henrique Bianco de
Cardoso, Leonardo Máximo
Referência: LÚCIO, Karine de Pádua. Avaliação das propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes de Morus nigra L. (blackberry) em um modelo murino de sepse induzido por LPS. 2018. 80 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018.
Resumo: A sepse é uma doença complexa, de alta incidência nas unidades de terapia intensiva (UTIs) sendo a causa de muitos óbitos no mundo inteiro. A patogênese da sepse envolve uma resposta inflamatória desregulada com consequente produção de mediadores inflamatórios e espécies reativas. A produção e liberação excessiva dessas substâncias na circulação sistêmica desencadeiam as diversas alterações celulares e metabólicas que são observadas durante a evolução da doença. Alguns trabalhos científicos tem investigado plantas como Morus nigra L., conhecida popularmente como amoreira-preta, pois sabe-se que as plantas desse gênero apresentam um grande potencial terapêutico. Estudos já mostraram que as plantas pertencentes a este gênero são ricas em metabólitos secundários como os flavonoides que apresentam atividades biológicas importantes. Com base nesse contexto, o objetivo do nosso estudo foi avaliar as propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes de Morus nigra L. em modelo murino de sepse induzido por LPS. Para isso, camundongos machos da linhagem C57Bl/6, com oito semanas de idade e peso médio entre 20-25g foram distribuídos em quatro grupos experimentais, a saber: controle (C), sepse (S), sepse tratado com extrato das folhas da amoreira (SF) e sepse tratado com a polpa de amora (SP). Os animais foram tratados com 100μl de seus respectivos tratamentos, por gavagem, durante vinte e um dias. A sepse foi induzida no 21º através de injeção intraperitoneal com lipopolissacarídeo (LPS). Os animais foram eutanasiados 24 horas após receberem a injeção de LPS e amostras de plasma, fígado e lavado bronco-alveolar foram coletados e armazenados para análises posteriores. Os dados obtidos a partir das dosagens laboratoriais foram analisados no software GraphPad Prism 5.0 para Windows (San Diego, California, USA). Nossos resultados mostraram que os tratamentos com a polpa e o extrato das folhas diminuíram significativamente o infiltrado de leucócitos nos pulmões e os níveis séricos de TNF nos animais sépticos. Com relação aos marcadores de processos redox, ambos os tratamentos diminuíram significativamente a atividade antioxidante da enzima glutationa peroxidase (GPx). No que diz respeito à metaloproteinase do tipo 2 (MMP-2) observamos que o tratamento com a polpa da amora foi capaz de reduzir significativamente a atividade dessa enzima em relação ao grupo sepse. Por fim, esses resultados positivos em conjunto, promoveram o aumento na sobrevida dos animais sépticos que receberam o extrato das folhas ou a polpa de amora.
Resumo em outra língua: Sepsis is a complex disease of high incidence in intensive care units (ICUs) and is the cause of many deaths worldwide. The pathogenesis of sepsis involves a deregulated inflammatory response with consequent production of inflammatory mediators and reactive species. The production and excessive release of these substances into the systemic circulation trigger the various cellular and metabolic alterations that are observed during the evolution of the disease. Some scientific works have investigated plants like Morus nigra L., popularly known as blackberry, because it is known that plants of this genus have great therapeutic potential. Studies have shown that plants belonging to this genus are rich in secondary metabolites such as flavonoids that have important biological activities. Based on this context, the objective of our study was to evaluate the anti-inflammatory and antioxidant properties of Morus nigra L. in murine model of sepsis induced by LPS. For this, male mice of the lineage C57Bl / 6, with eight weeks of age and average weight between 20-25g were distributed in four experimental groups: control (C), sepsis (S), sepsis treated with leaf extract mulberry (SL) and sepsis treated with mulberry pulp (SP). The animals were treated with 100μl of their respective treatments, by gavage, for twenty one days. Sepsis was induced at the 21st through intraperitoneal injection with lipopolysaccharide (LPS). The animals were euthanized 24 hours after receiving the LPS injection and plasma, liver and bronchoalveolar lavage samples were collected and stored for further analysis. The data obtained from the laboratory dosages were analyzed in GraphPad Prism 5.0 software for Windows (San Diego, California, USA). Our results showed that treatments with pulp and leaf extract significantly decreased leukocyte infiltrate in the lungs and serum TNF levels in septic animals. Regarding the markers of redox processes, both treatments significantly decreased the antioxidant activity of the enzyme glutathione peroxidase (GPx). As regards metalloproteinase type 2 (MMP-2), we observed that the treatment with the blackberry pulp was able to significantly reduce the activity of this enzyme in relation to the sepsis group. Finally, these positive results together promoted an increase in the survival of the septic animals that received the leaf extract or the blackberry pulp.
Descrição: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa de Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10012
Licença: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 18/06/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Aparece nas coleções:PPCBIOL - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_AvaliaçãoPropriedadesAnti-Inflamatórias.pdf1,87 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciado sob uma Licença Creative Commons Creative Commons