Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/12009
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFernandes, Gilbertopt_BR
dc.contributor.authorSilva, Diógenes Segantini da-
dc.date.accessioned2020-03-31T19:34:08Z-
dc.date.available2020-03-31T19:34:08Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.citationSILVA, Diógenes Segantini da. Análise da capacidade da via permanente do Corredor Centro Sudeste para possíveis estudos de aumento de carga por eixo. 2019. 157 f. Dissertação (Mestrado em Geotecnia) - Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/12009-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Geotecnia. Núcleo de Geotecnia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractA agricultura brasileira atravessa por forte crescimento, o qual continuará pelos próximos dez anos. A tendência será de aumento na exportação, frente ao consumo interno. O Corredor Centro Sudeste da empresa VLI S.A. é constituído por uma ferrovia que liga terminais no interior do Brasil ao porto de Santos. Esse é uma das principais rotas de exportações brasileiras, justificando um investimento de renovação de via permanente, para modernizar a ferrovia entre as cidades de Uberaba (MG) e Campinas (SP). Esse processo consiste em um aumento do perfil de trilho, substituição dos dormentes de madeira por concreto, alteração dos sistemas de fixação e aumento da camada de lastro, buscando aumento de confiabilidade e disponibilidade. Frente a essa reconfiguração, surgiu a oportunidade de estudar um possível aumento 10,0% da carga por eixo, o que se tornou o objetivo principal deste estudo. Foi escolhido um trecho experimental para coleta de amostras de solos das camadas de subleito, sublastro e lastro, e realizados ensaios geotécnicos. Foram obtidos dados da ferrovia junto a empresa. Com a base de dados formada, foram dimensionadas as tensões atuantes no pavimento utilizando métodos empíricos e mecanicistas. Os resultados das tensões pelo método empírico apresentaram valores mais conservadores. O método mecanicista foi realizado através do software Ferrovia 3.0, o qual apresentou as tensões em diversos pontos das camadas do pavimento, dado a sua malha de elementos finitos. As tensões foram verificadas em três cenários distintos, sendo eles considerando a ferrovia antes da renovação (25 t/eixo), após a renovação com 25 t/eixo e com 27,5 t/eixo. Foi calculada a tensão admissível do subleito para os diversos cenários utilizando o método de Meyerhoff e Hanna. Concluiu-se que a renovação de via não foi suficiente para o aumento de carga sugerido. Frente ao resultado, alternativas foram avaliadas, aprofundando-se na possibilidade de um novo aumento da camada de lastro em 5,0 cm. A tensão admissível do subleito para esse novo cenário foi de 0,84 kgf/cm², e o resultado da tensão obtida foi 1,11 kgf/cm². O resultado foi inferior ao limite, e não possui fator de segurança. Logo, não foi recomendado o acréscimo de carga. Foi sugerido a reconfiguração das camadas de subleito e sublastro.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.rights.uriAn error occurred getting the license - uri.*
dc.subjectRenovação de via permanentept_BR
dc.subjectMétodos mecanicistaspt_BR
dc.subjectFerrovia 3.0pt_BR
dc.titleAnálise da capacidade da via permanente do Corredor Centro Sudeste para possíveis estudos de aumento de carga por eixo.pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 10/03/2020 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeFernandes, Gilbertopt_BR
dc.contributor.refereeFerreira, Lucas Deleonpt_BR
dc.contributor.refereeSilva, Rodolfo Gonçalves Oliveira dapt_BR
dc.description.abstractenBrazilian agriculture is growing, and this is expected to continue for the next ten years. The trend is to increase exports when compared to domestic consumption. VLI S.A.'s Southeast Central Corridor is a railway that connects terminals in the interior of Brazil to the port of Santos. A permanent way renovation investment to modernize the railroad between the cities of Uberaba (MG) and Campinas (SP) is currently taking place, which is justified by the fact that this is one of the main routes of Brazilian exports. This process includes replacing the rail profile with a larger one, replacing the wooden ties for concrete ones, using new fastening systems and thickening the ballast layer, in order to increase reliability and availability. Thus, the main objective of this study is to evaluate a possible 10.0% increase in axle load. An experimental section was chosen to collect soil samples from the subgrade, sub-ballast and ballast layers. Geotechnical tests were also performed. Data collected from the railroad company based the measuring of stresses on the pavement, which was done using empirical and mechanistic methods. The results obtained through empirical methods presented conservative values. The mechanical method was carried out using the Ferrovia 3.0 software, which presented stresses at several points in the pavement layers, given its finite element mesh. Stresses were verified in three different scenarios, considering the railway before the renovation (25 t/axle), after the renovation with 25 t/axle and 27.5 t/axle. Allowable stress on the subgrade was calculated for the different scenarios using the Meyerhoff and Hanna method. It was concluded that the track renovation was not fit for the suggested axle load increase. In view of the result, alternatives were evaluated, deepening in the possibility of a new increase of the ballast layer in 5.0 cm. Allowable stress of the subgrade for this new scenario was 0.84 kgf/cm², and the value obtained was 1.11 kgf/cm². However the result was lower than the first one and therefore has no safety factor. Therefore, load increase is not recommended. As a suggestion, the subgrade and sub-ballast layers could be reconfigured to accommodate the axle load changept_BR
Appears in Collections:POSGEO - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_AnáliseCapacidadePermanente.pdf6,27 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.