Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10620
Title: Antibióticos e o ecossistema fluvial : um estudo de caso da bacia hidrográfica do Rio Caratinga – MG.
Authors: Castro, Paulo Bernardo Neves e
metadata.dc.contributor.advisor: Roeser, Hubert Mathias Peter
Keywords: Antimicrobianos
Ecossistemas aquáticos - fluvial
Partição
Antibióticos - consumo
Issue Date: 2018
metadata.dc.contributor.referee: Roeser, Hubert Mathias Peter
Moreira, Renata Pereira Lopes
Santiago, Aníbal da Fonseca
Citation: CASTRO, Paulo Bernardo Neves e. Antibióticos e o ecossistema fluvial : um estudo de caso da bacia hidrográfica do Rio Caratinga – MG. 2018. 112 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental) – Núcleo de Pesquisas e Pós-Graduação em Recursos Hídricos, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018.
Abstract: Os ambientes fluviais são, desde os primórdios da civilização humana, centrais e essenciais ao desenvolvimento da sociedade. Por outro lado, as ações tomadas que levaram a esse desenvolvimento trouxeram consigo impactos, muitas vezes negativos e indesejados, sobre o ambiente aquáticos, prejudicando muitas de suas funções desejáveis, como por exemplo a qualidade do abastecimento público de água. Nesse contexto a medicina, e consigo os medicamentos, evoluem do tratamento com extratos naturais a terapias complexas com uso de drogas sintetizadas, com destaque para os antibióticos. Essa classe de medicamento, desenvolvida a uma elevada capacidade antimicrobiana, tem impacto de sua presença nos meios naturais ainda não muito bem compreendido, mas potencialmente muito danoso. Buscando abordar essa questão, essa pesquisa procurou entender a partição de antibióticos de amplo uso no Brasil em distintos compartimentos do ambiente fluvial do rio Caratinga – MG. Inicialmente foi realizada uma avaliação de dados do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC) a respeito da dispensação de antibióticos no país. A partir dessa análise foram determinadas as classes de antibiótico de maior consumo no país, sendo elas: Amoxilina (AMX - 43,19%), Cefalexina (CEF – 20,86%), Azitromicina (AZI – 20,36%), Sulfametoxazol – SMX e Trimetoprima – TMP (4,43%) e Tetraciclina (TET – 3,85%), os dispensação dos demais antimicrobianos correspondeu a 2,87% (CLA, ERI, CIP e LEV). Determinadas essas substâncias, foi realizado um planejamento amostral considerando o modelo o RCC (River Continuum Concept) além da espacialização dos principais centros urbanos da bacia. Analisadas as amostras de águas superficiais e água intersticial, foi constata a presença de antibióticos em 100% das amostras coletadas. As amostras de águas superficiais apresentaram maior quantidade de detecções de antibióticos. As principais substancias detectadas foram: SMX, TET, CEF e AZI.
metadata.dc.description.abstracten: Riverine environments are, since the beginning of civilization, essential and central to society development. By the other hand, the same actions taken to get to such development, brought impacts, many times negative and undesired, over the aquatic environment, prejudicing different desirable functions of such resource, e.g. public water supply quality. On this context medicine, and along with it drugs, evolves from treatments based on natural extracts to complex therapies with use of synthetic drugs, with highlights to antibiotics. This class of medicament, developed to a powerful antimicrobial capacity, does not have the impacts caused by its presence on the environment well understood, but likely to be damaging. Aiming this question, this research tried to understood the partitioning of antibiotics of broad use in Brazil between different riverine compartments of Caratinga river – Minas Gerais State (MG). Firstly an evaluation of antimicrobial consumption in the country was carried out by analyzing data from the Controlled Products Management National System (SNGPC). From such study, the antibiotic’s classes most used in the MG were determined, being them: Amoxicillin (AMX – 43,19%), Cephalexin (CEF – 20,86%), Azithromycin (AZI – 20,36%), Sulfamethoxazole (SMX) and Trimethoprim (TMP) – 4,43% and Tetracycline (TET – 3,85%), the other classes corresponded to 2,87% of total dispensation (Clarithromycin – CLA, Erythromycin – ERI, Ciprofloxacin - CIP and Levofloxacin – LEV). With the most consumed antibiotics determined, a sampling plan was designed considering the RCC (River Continuum Concept) as well as the spatialization of the main urban areas of the watershed. Antibiotics were detected on 100% of the samples, implying in river high contamination by such substances. The results indicates that surface waters are more impacted then pore waters, indicating higher exposition to antibiotics. Being the most detected substances were SMX, TET, CEF and AZI.
Description: Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental. Núcleo de Pesquisas e Pós-Graduação em Recursos Hídricos, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10620
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 12/11/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante.
Appears in Collections:PROAMB - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_AntibióticosEcossistemaFluvial.pdf3,88 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons