Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/10448
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorCarneiro, Diego dos Santos-
dc.contributor.authorSantos, Thiago Fontes-
dc.date.accessioned2018-10-25T15:33:20Z-
dc.date.available2018-10-25T15:33:20Z-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.citationCARNEIRO, D. dos S.; SANTOS, T. F. Estudo do câncer via equações diferenciais ordinárias. Revista de Matemática da UFOP, v. 1, p. 101-149, 2017. Disponível em: <http://www.periodicos.ufop.br/pp/index.php/rmat/article/view/1134/895>. Acesso em: 16 jun. 2018.pt_BR
dc.identifier.issn22378103-
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10448-
dc.description.abstractO câncer pode ser compreendido como um conjunto de doenças em que há um crescimento desordenado de células que invadem tecidos e órgãos e corroboram as funções vitais do corpo humano, podendo levar à morte caso não seja tratado da devida maneira. Portanto, são necessários estudos que ajudem a compreender o comportamento das células tumorais ao longo do tempo no organismo com objetivo de buscar um tratamento rápido e adequado. Dessa maneira, a biomatemática é de grande utilidade uma vez que um dos seus ramos de abordagem é o da dinâmica populacional que estuda populações de células, moléculas, micro-organismos e sociedades humanas. E com auxilio de conceitos da biomatemática, foi possível realizar modelagens matemáticas através de equações diferenciais, que descreveriam como se daria a evolução das células cancerosas no corpo humano e a influência de drogas e outros tipos de tratamentos para a atenuação da população dessas células. Para encontrar um modelo adequado, foram estudados modelos de crescimento populacional, desde os primeiros como o modelo de Malthus, em que a população cresceria exponencialmente ao longo do tempo, até modelos mais recentes como o de Rodney Bassanezi ou o de Diego Samuel Rodrigues, este último estuda a influencia da quimioterapia no crescimento populacional de células. No intuito de encontrar um modelo mais realístico, foi utilizada uma tabela de crescimento da população brasileira de 1940 a 1991 e a partir desses dados, foram traçadas as curvas de vários modelos, na tentativa de encontrar qual curva se assemelha mais ao comportamento da população, e tal modelo poderia ser utilizado para população de células. Entretanto, alguns dos modelos não apresentavam fatores de inibição externa como inserção de drogas e cirurgias, e por isso foi feito uma segunda parte do estudo, que teve como foco estudar modelos realistas que continham a influência de tratamentos externos no retardamento do crescimento populacional de células tumorais.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.subjectModelagem matemáticapt_BR
dc.titleEstudo do câncer via equações diferenciais ordinárias.pt_BR
dc.typeArtigo publicado em periodicopt_BR
dc.rights.licenseOs trabalhos publicados pela RMAT - Revista de Matemática estão sob licença Creative Commons Attribution-NonCommercial que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista. Fonte: RMAT - Revista de Matemática <http://www.periodicos.ufop.br/pp/index.php/rmat/about/submissions#copyrightNotice>. Acesso em: 08 jun. 2018.pt_BR
Appears in Collections:DEMAT - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_EstudoCâncerEquações.pdf1,68 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.