Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/15165
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSilva, Karina Gomes Barbosa dapt_BR
dc.contributor.authorRoza, Sandra Rita de Cássia-
dc.date.accessioned2022-08-24T19:34:05Z-
dc.date.available2022-08-24T19:34:05Z-
dc.date.issued2022pt_BR
dc.identifier.citationROZA, Sandra Rita de Cássia. Beyoncé sob uma lente interseccional: uma análise das representações de mulheres negras em Lemonade, Homecoming e Black is King. 2022. 288 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Instituto de Ciências Sociais e Aplicadas, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2022.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/15165-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Comunicação. Instituto de Ciências Sociais e Aplicadas, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractEste estudo visa analisar as representações de mulheres negras nos álbuns visuais Lemonade (2016) e Black is King (2020) e no documentário Homecoming (2019), da cantora estadunidense Beyoncé, sob uma lente interseccional própria. Para isso, foi escolhido como método de pesquisa a análise fílmica, a partir da abordagem metodológica dos estudos culturais, especificamente o protocolo de codificação e decodificação desenvolvido por Stuart Hall (2003), aplicado sob uma abordagem atual feminista negra interseccional, afro diaspórica, latino-americana, antirracista e jovem. As matrizes conceituais estão ancoradas em AKOTIRENE (2018), ALMEIDA (2019), BENTO (2002), CARRERA (2020), CRENSHAW (1989; 2002; 2004; 2016), DIANGELO (2020), ESCOSTEGUY (2007), FANON (2008), HALL (1997; 2003; 2006), HANNAH- JONES (2019), KILOMBA (2016), LORDE (1980), ROZA (2018), SODRÉ (1999), SCHUCMAN (2012; 2020) e TELLES (2012). A escolha pela lente própria foi feita considerando o lugar de fala da pesquisadora: uma mulher negra jovem, feminista negra interseccional, latina americana, diaspórica e antirracista. Antes de iniciar a análise, foi realizado um aprofundamento teórico sobre relações étnico-raciais, saúde mental, branquitude, comunicação, racismos, feminismo negro, interseccionalidade e representações, e nos contextos sócio-históricos desses assuntos no Brasil e Estados Unidos. A partir das análises foi possível perceber que os três trabalhos se encontram, principalmente, no feminismo negro, no recuperar as referências e histórias de mulheres negras, seja nos EUA, na diáspora ou no continente africano. Em mostrar aquelas que também tiveram protagonismos em lutas antirracistas, mas que ficaram apagadas desse processo. Em trazer representações que conectem as futuras gerações para que elas “Sejam o que podem ver” (EDELMAN, 1959), em deixar um legado, apontar possíveis sinais de caminhos a seguir, questionar, investigar e reformular rotas e direções e criar outros sinais e códigos.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.subjectBeyoncé, 1981pt_BR
dc.subjectBrancospt_BR
dc.subjectFeminismopt_BR
dc.subjectIdentidade socialpt_BR
dc.subjectNegrospt_BR
dc.subjectRacismopt_BR
dc.subjectRepresentações sociaispt_BR
dc.titleBeyoncé sob uma lente interseccional : uma análise das representações de mulheres negras em Lemonade, Homecoming e Black is King.pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 10/08/2022 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeSilva, Karina Gomes Barbosa dapt_BR
dc.contributor.refereeCarrera, Fernanda Ariane Silvapt_BR
dc.contributor.refereeMariano, Agnes Francine de Carvalhopt_BR
dc.description.abstractenThis study aims to analyze the representations of black women in Beyoncé's visual albums Lemonade (2016) and Black is King (2020) and in the documentary Homecoming (2019) under an own intersectional lens. To this end, filmic analysis was chosen as a research method from the methodological approach of cultural studies, specifically the encoding and decoding protocol developed by Stuart Hall (2003), applied under a current intersectional black feminist, Afrodiasporic, Latin American, antiracist and young approach. The conceptual matrices are anchored in AKOTIRENE (2018), ALMEIDA (2019), BENTO (2002), CARRERA (2020), CRENSHAW (1989; 2002; 2004; 2016), DIANGELO (2020), ESCOSTEGUY (2007), FANON (2008), HALL (1997; 2003; 2006), HANNAH-JONES (2019), KILOMBA (2016), LORDE (1980), ROZA (2018), SODRÉ (1999), SCHUCMAN (2012; 2020) and TELLES (2012). The choice of the own lens was made considering the researcher's place of speech: a young black woman, intersectional black feminist, Latin American, diasporic, and antiracist. Before starting the analysis, a theoretical study was done on ethno-racial relations, mental health, whiteness, communication, racism, black feminism, intersectionality and representations, and on the social and historical contexts of these issues in Brazil and the United States. From the analyses it was possible to notice that the three works are mainly, in black feminism, in recovering the references and histories of black women, whether in the USA, diaspora, or African continent. It is to show those who were also protagonists in antiracist struggles, but who were erased from this process. It is to bring representations that connect future generations so that they “Be what they can see” (EDELMAN, 1959), it is to leave a legacy, point out possible signs of paths to follow, question, investigate, and reformulate routes and directions, and create other signs and codes.pt_BR
Appears in Collections:PPGCOM - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_BeyoncéLenteInterseccional.pdf7,49 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons