Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/13820
Title: Coeducação, gênero e educação matemática : um caminho para o respeito à diversidade.
Authors: Córdova, Marina de Morais
metadata.dc.contributor.advisor: Ferreira, Ana Cristina
Keywords: Crítica da educação - matemática
Coeducação
Gênero
Diversidade de gênero
Issue Date: 2021
metadata.dc.contributor.referee: Ferreira, Ana Cristina
Martinez Lirola, María Dolores
Torisu, Edmilson Minoru
Citation: CÓRDOVA, Marina de Morais. Coeducação, gênero e educação matemática: um caminho para o respeito à diversidade. 2021. 225 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Matemática) – Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2021.
Abstract: Nossa sociedade ainda é extremamente desigual e, muitas vezes, pouco respeitosa com a diversidade. Nesse contexto, a formação de professores(as) de Matemática tem uma escolha a fazer: se manter à margem em nome de uma pretensa neutralidade, ou tornar-se um espaço de acolhida da diversidade e busca de equidade. A presente pesquisa embasou-se nas noções de Educação para a Paz, Coeducação e Educação Matemática Crítica, para explorar e discutir as (des)igualdades entre homens e mulheres no contexto de um curso de Licenciatura em Matemática. Assim, ela se norteou pela seguinte questão: Como tarefas fundamentadas na Coeducação e realizadas em uma perspectiva crítica podem contribuir para a abordagem de conceitos matemáticos e promover o respeito à diversidade em uma turma de Licenciatura em Matemática? Participaram do estudo nove licenciandos(as) de uma universidade pública do interior de Minas Gerais. Esse grupo participou de um Projeto – “(Des)igualdades: conversando e pesquisando sobre a igualdade entre mulheres e homens” – desenvolvido em cinco encontros síncronos, via Google Meet, no âmbito de uma disciplina eletiva. Nele, foram propostas tarefas que abordaram questões de gênero e raça e envolveram noções de Estatística, Tratamento da Informação, Proporcionalidade, Análise Combinatória, em um contexto que favoreceu discussões voltadas à Educação para a Paz. A coleta de informações aconteceu por meio de registros produzidos pelos(as) licenciandos(as) na plataforma Moodle e transcrição das gravações dos encontros síncronos (áudio e vídeo), chat. Os dados produzidos foram analisados a partir de três categorias, definidas a priori: a) Discussão de conceitos matemáticos em uma perspectiva crítica, b) Respeito à diversidade: (des)igualdade de gênero e de raça, e c) Potencial das tarefas para a formação inicial de professores(as) de Matemática. Os resultados evidenciaram que a participação e vivência no Projeto favoreceram a realização de discussões coletivas sobre temas atuais e socialmente relevantes que promoveram reflexões críticas por parte do grupo. As tarefas que envolviam a interpretação de gráficos e dados estatísticos de uma forma crítica possibilitaram que os(as) licenciandos(as) compreendessem as intencionalidades dessas representações matemáticas, verificassem outras possibilidades e analisassem os riscos e benefícios em usar esse ou outro tipo de apresentação dos dados. A análise também sugere que discutir a igualdade de gênero e questões de raça, bem como analisar questões de materiais didáticos que pressupõem a formação de casais heteronormativos em seus gabaritos, construindo respostas que consideram a diversidade, permitiu ampliar os olhares, tendo como foco a inclusão de todos e todas. Tais resultados sugerem que as tarefas trouxeram contribuições para a formação pessoal e profissional desse grupo de futuros(as) professores(as). A partir desta pesquisa, elaboramos um pequeno caderno voltado para futuros(as) professores(as), formadores(as) de professores(as) e interessados(as) na temática, no qual são descritas e comentadas algumas das tarefas desenvolvidas, bem como são propostas sugestões para a promoção de discussões críticas pautadas na Coeducação nas aulas de Matemática.
metadata.dc.description.abstracten: Our society is extremely unequal and, many times, little respectful towards diversity. In this context, Mathematics teacher training has a choice to make: stay on the margin on behalf of a pretense neutrality, or become a welcoming space for diversity and equity. The present research was based on the notions of Education for Peace, Coeducation and Critical Mathematics Education, to explore and discuss the (in)equalities between men and women in the context of a course of Mathematics Licentiate degree. Thus, the research was guided by the following question: How tasks based on Coeducation and accomplished in a critical perspective can contribute to the approach of mathematical concepts and promote respect to diversity? In this study there were nine licentiate degree students from a public university in the countryside of Minas Gerais. This group took part in a Project – “(In)equalities: discussing and researching about equality between women and men” – developed in five synchronous meetings, via Google Meet, in the scope of an elective subject. In this project there were proposed tasks which approached gender and race issues and involved ideas of Statistics, Information Processing, Proportionality, Combinatorial Analysis, in a context which favored discussions towards Education for Peace. The information gathering took place by records produced by the licentiate degree students on the Moodle platform and by the transcription of the recordings of the synchronous meetings (audio and video), chat. The produced data were analyzed from three categories, defined a priori: a) Discussion of mathematical concepts through a critical perspective, b) Respect of diversity: gender and race (in)equalities, and c) Tasks potential for the initial qualification of Mathematics teachers. The results show that participating and experiencing in the Project favored collective discussions on current and socially relevant topics which promoted critical reflections by the group. The tasks which involved the interpretation of graphs and statistic data in a critical way enabled the students to understand the intentionality of these mathematical representations, to verify other possibilities and analyze the risks and benefits of using this or other type of data presentation. The analysis also suggests that discussing gender equality and race issues, as well as analyzing activities from course books which assume the formation of heteronormative couples in their answer keys, constructing answers that consider the diversity, allowed to broaden the perception focusing on the inclusion of all people. Such results suggest that the tasks contributed to the personal and professional development of this group of future teachers. From this research, we have elaborated a booklet for teachers to be, teacher trainers and people interested in the theme, where some of the developed tasks are described and commented, as well as proposed suggestions for promoting critical discussions guided by Coeducation in Mathematics classes.
Description: Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática. Departamento de Educação Matemática, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/13820
metadata.dc.rights.license: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 22/09/2021 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Appears in Collections:PPGEDMAT - Mestrado profissional (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_CoeducaçãoGêneroEducação.pdf2,69 MBAdobe PDFView/Open
PRODUTO_CoeducaçãoGêneroEducação.pdf1,31 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons