Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/9874
Título: Para além de Aylan Kurdi : a imagem de tantos na fotografia do menino sírio.
Autor(es): Silva, Lorena Cristine
Orientador(es): Rodrigues, Hila Bernadete Silva
Palavras-chave: Refugiados
Memória
Data do documento: 2018
Membros da banca: Rodrigues, Hila Bernadete Silva
Bruck, Mozair Salomão
Santos, Ana Carolina Lima
Referência: SILVA, Lorena Cristine. Para além de Aylan Kurdi : a imagem de tantos na fotografia do menino sírio. 2018. 105 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Instituto de Ciências Sociais e Aplicadas, Universidade Federal de Ouro Preto. Mariana, 2018.
Resumo: Em setembro de 2015, Aylan Kurdi, um dos milhares de refugiados que nos últimos anos têm deixado o país em busca de melhores condições de vida, foi encontrado morto na praia de Bodrum, na Turquia. O menino, que tinha apenas 3 anos de idade, tentava a travessia do mar Mediterrâneo junto com os pais e o irmão quando a embarcação virou. Apenas o pai sobreviveu. Aylan foi encontrado pela fotógrafa turca Nilüfer Demir, que registrou a cena do garoto deitado na praia, de bruços, já sem vida. Em pouco tempo, o acontecimento ganhou repercussão e a imagem do garoto alcançou ampla divulgação, tornando-se um símbolo da crise dos refugiados e suscitando grandes discussões, principalmente na mídia. Ancorado nesse contexto, este trabalho objetiva compreender que elementos – visíveis e invisíveis – fizeram com que a imagem do garoto se tornasse uma representação dos impasses políticos, sociais e econômicos relativos à crise. Para isso, o percurso metodológico consiste em descrever, contextualizar e interpretar a fotografia, com base em autores que trabalham a imagem em sua complexidade, sobretudo na compreensão de que ela condensa em si diferentes temporalidades – de forma que passado, presente e futuro se misturem. No eixo da interpretação, é realizado, ainda, um grupo focal, com o objetivo de descobrir de que forma a fotografia afeta e estabelece um diálogo com outras pessoas. A pesquisa nos leva a perceber que diferentes fatores contribuíram para que a imagem se tornasse um símbolo da crise. Entre esses fatores, está o fato de a imagem revelar uma criança em uma posição específica – de bruços, com o rosto enterrado na areia – e por Aylan representar tantas outras pessoas que enfrentam esse processo de fuga. Além disso, a imagem circulou incessantemente pela mídia, o que acabou dando a ela um status de ícone.
Resumo em outra língua: In September 2015, Aylan Kurdi, one of the million refugees who, in the last few years, have left the contry in the seek of better life conditions, was found dead on the Bodrum beach, in Turkey. The 3 year old boy was trying to cross the Mediterranean sea with his parentes and brother when a shipwreck happened. The father was the only survivor. Aylan was found by the turkish photographer Nilüfer Demir, who registered the scene of the boy laying on the beach, face down, already lifeless. In a short time, the occurence gained repercussion and the boy’s image reached wide propagation, becoming a symbol of the refugee’s crisis and generating great discussions, mainly through the media. Along with this context, this work aims to understand which elements – both visible and invisible – have made the boy’s image to become a representation of the political, social and economical impasses related to the crisis. In order to that, the methodological path consists in describing, contextualizing and interpreting the photography, based in authors who have worked with the image in it’s complexity, especially understanding that it carries with it different temporalities – in a way that past, present and future mix. On the interpretation axis, it was formed a focus group, with the objective of discovering in which way the photography affects and stablishes a dialogue with other people. The research leads us to realize that different factors contributed to the image becoming a symbol of crisis. One of these factors is the fact that the image reveals the child in a specific position – stepped down, buried in the sand – and also Aylan represent so many other people who face this process of escape. In addition, the image circulated deeply through the media, giving it an icon status.
Descrição: Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Instituto de Ciências Sociais e Aplicadas, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/9874
Licença: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo autor(a), 19/04/2018, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Aparece nas coleções:PPGCOM - Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_AylanKurdiImagem.pdf2,36 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciado sob uma Licença Creative Commons Creative Commons