Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/7872
Título: Análise sobre a composição da microbiota cutânea de anfíbios anuros em ambiente contaminado por arsênio.
Autor(es): Cordeiro, Isabella Ferreira
Orientador(es): Pires, Maria Rita Silvério
Moreira, Leandro Márcio
Palavras-chave: Anuros
Arsênio
Ecossistemas - microbiota
Data do documento: 2017
Membros da banca: Pires, Maria Rita Silvério
Feio, Renato Neves
Referência: CORDEIRO, Isabella Ferreira. Análise sobre a composição da microbiota cutânea de anfíbios anuros em ambiente contaminado por arsênio. 2017. 50 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais) - Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2017.
Resumo: Os microrganismos estão suscetíveis aos atributos químicos e físicos do substrato onde vivem, tais como temperatura, pH, disponibilidade de água, radiação, nutrientes, contaminantes e outros. Portanto, a microbiota presente na epiderme dos anuros expostos a estas variáveis pode ter sua composição modulada. O presente trabalho teve como objetivo analisar a composição da comunidade microbiana cultivável e sua resistência ao arsênio oriunda da pele de anfíbios da Estação Ecológica do Tripuí (EET – Ouro Preto, MG), na tentativa de compreender a importância deste fenômeno na relação e manutenção da sobrevivência do vertebrado associado. Para tanto, 214 isolados bacterianos foram obtidos a partir de 4 espécies capturadas em diferentes microambientes dentro da EET, um local naturalmente contaminado por esse elemento. Da mesma forma 68 isolados bacterianos foram obtidos a partir de 3 espécies de anuros da região do Jardim Botânico de Brasília (JBB), uma região controle, livre desta contaminação. Os resultados mostraram uma maior porcentagem de isolados resistentes a arsênio obtidos a partir de anuros da EET, além de apresentarem resistência a concentrações de 5 a 10 vezes maiores que isolados bacterianos obtidos a partir de anuros do JBB. Outro dado que chamou a atenção tem relação com a maior resistência associada a isolados obtidos a partir de anuros da EET que naturalmente estão mais expostos ao contato direto com a à água, como é o caso de Ololygon luizotavioi, frente às espécies Ischnocnema izecksohni (arbustiva) e Vitreorana uranoscopa (arborícola). Este estudo piloto estabeleceu pela primeira vez uma relação direta entre a microbiota associada a pele de anfíbios e a resistência a metais pesados do meio, pemitindo-se inferir que possam estar envolvidas com a manutenção da sobrevivência da espécie vertebrada, que classicamente é muito sensível a exposição a elementos tóxicos como o arsênio. Um provável fenômeno decorrente de coevolução entre as espécies que precisa ser melhor explorado e compreendido.
Descrição: Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/7872
Licença: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo autor, 01/05/2017, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta.
Aparece nas coleções:PPGEBT - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_ AnáliseComposiçãoMicrobiota.pdf1,41 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.