Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/6404
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorNalini Júnior, Hermínio Ariaspt_BR
dc.contributor.authorSousa, Denise Versiane Monteiro de-
dc.date.accessioned2016-04-15T13:31:57Z-
dc.date.available2016-04-15T13:31:57Z-
dc.date.issued2016-
dc.identifier.citationSOUSA, Denise Versiane Monteiro de. Estudo geoquímico-mineral das formações ferríferas bandadas do Sinclinal Gandarela, Quadrilátero Ferrífero (MG). 2016. 86 f. Dissertação (Mestrado em Evolução Crustal e Recursos Naturais) – Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/6404-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Evolução Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractA composição química, principalmente de elementos-traços, das formações ferríferas bandadas (FFB) e de suas fases minerais é uma ferramenta importante para entendermos a gênese e os processos evolutivos pelos quais essas rochas passaram. As FFB constituem a principal fonte de minério de ferro do mundo e podem auxiliar na compreensão da evolução atmosférica, da composição química dos oceanos e da história evolutiva do planeta Terra. Porém, a baixa fração em massa de elementos-traços nas fases minerais dessas formações, requer um método analítico que apresente baixo limite de detecção. Com isso, foi necessário o desenvolvimento de uma metodologia através de curvas de calibração para a determinação dos elementos-traços Y, La, Ce, Pr, Nd, Sm, Eu, Gd, Tb, Dy, Ho, Er, Tm, Yb e Lu em diferentes fases minerais, via LA-ICP-MS. A metodologia desenvolvida neste trabalho apresentou-se aplicável ao estudo proposto, apresentando linearidade, precisão e acurácia. Foram selecionadas para estudo 11 amostras de itabirito silicoso compacto e itabirito silicoso semicompacto do Sinclinal Gandarela, região centro-nordeste do Quadrilátero Ferrífero (MG). Essas rochas apresentaram uma associação mineral composta por hematita lamelar, magnetita, goethita, quartzo, martita (produto de transformação da oxidação da magnetita em hematita) e outros minerais ganga, como celadonita, barita, monazita e xenotima. Foi determinada a química mineral de Y-ETR em grãos de magnetita, martita, hematita lamelar, goethita e celadonita. A magnetita apresentou valores de concentração desses elementos inferiores aos limites de detecção do método. De forma geral, a hematita lamelare e goethita apresentaram assinaturas geoquímicas semelhantes: i) enriquecimento dos ETRP em relação aos ETRL; ii) anomalia positiva em Eu, que indica uma contribuição hidrotermal na formação desses minerais; iii) anomalia negativa em Ce, que indica um ambiente de formação oxidante; iv) anomalia positiva em Y, que indica condições de mares modernos e refletem uma rápida precipitação dos óxidos de ferro favorecida pela migração de águas marinhas redutoras e levemente ácida até ambientes rasos de águas mais alcalinas e oxidantes; v) anomalia negativa em Nd; vi) ausência de contaminação clástica. Martita e celadonita apresentaram um padrão geoquímico distinto dos demais minerais, exceto pela presença de um enriquecimento dos ETRP em relação aos ETRL das martitas. Um enriquecimento do conteúdo de Y-ETR e da razão Y/Ho também foi notado entre os óxidos/hidróxidos de ferro, relativo ao aumento do grau de oxidação deles, que pode evidenciar uma mudança na composição do fluido e/ou um aumento na razão rocha/fluido, favorecida pela fixação de elementos terras raras (principalmente de ETRP) e uma mobilização dos elementos Y e Ho durante o processo de mineralização, respectivamente. A maioria dos grãos de hematita lamelar e goethita apresentaram uma assinatura geoquímica similar ao itabirito hospedeiro, indicando que há uma contribuição desses minerais para o padrão geoquímico dessas rochas.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.subjectGeoquímicapt_BR
dc.subjectRochas - formação mineralpt_BR
dc.subjectSinclinal Gandarela - Minas Geraispt_BR
dc.subjectCiclo mineral - biogeoquímicapt_BR
dc.titleEstudo geoquímico-mineral das formações ferríferas bandadas do Sinclinal Gandarela, Quadrilátero Ferrífero (MG).pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 01/04/2016 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeSilva, Rosaline Cristina Figueiredo ept_BR
dc.contributor.refereeAbreu, Adriana Trópia dept_BR
dc.description.abstractenThe chemical composition, mainly in trace elements, of the banded iron formation (BIF) and its mineral phases is an important tool to understand the genesis and the evolutionary processes by which these rocks passed. The BIF are the main source of the world's iron ore and can help in understanding of the Earth‟s atmospheric evolution, the chemical composition of the oceans and the Earth‟s evolutionary history. However, the low mass fraction of traces elements in mineral phases of the rocks requires an low detection limite analytical method. Thus, the development of a methodology using calibration curves were required for the determination of traces elements Y, La, Ce, Pr, Nd, Sm, Eu, Gd, Tb, Dy, Ho, Er, Tm, Yb, and Lu in diferents mineral phases, by LA-ICP-MS. The methodology developed in this work is applicable to the proposed study, with linearity, precision and accuracy. It was selected to study 11 samples of compact and semi-compact siliceous itabirites from Gandarela Synclinal, center-north region of the Quaadrilátero Ferrífero (MG). This rocks showed a mineral association composed of lamellar hematite, magnetite, goethite, quartz, martite (transformation product of oxidation of magnetite to hematite) and other minerals gangue, as celadonite, barite, monazite and xenotime. It was determined the mineral chemistry of Y-REE in magnetite, martite, lamellar hematite, goethite and celadonita grains. The magnetite showed values of concentrations of these elements below the detection limits. The lamellar hematite and goethite showed a similar geochemical signature: i) enrichment of HREE relative to LREE; ii) positive Eu anomaly, suggesting a hydrothermal contribution to the formation of these minerals; iii) negative Ce anomaly, which indicates that the environment was oxidizing when the iron formations deposited; iv) positive Y anormality, which indicates conditions of modern sea and reflect rapid precipitation of iron oxides favored reducing the migration of seawater and mildly acidic to alkaline environments more shallow and oxidizing water; v) negative Nd anomaly; vi) lack of clastic contamination. Martite and celadonite presented a distinct geochemical pattern of other minerals, except for the presence of an enrichment of HREE relative to LREE and negative Ce anomaly in some grains. An enrichment of the contents of the Y-REE and the ratio Y/Ho were also noted between the iron oxides and hydroxides, relative to the increase in the degree of their oxidation, which may reveal a change in fluid composition and/or an increase in the ratio rock/fluid favored for fixing rare earth elements (principally HREE) and mobilization of elements Y and Ho during the mineralization, respectively. Most lamellar hematite and goethite grains presented a geochemical signature similar to the host itabirite, indicating a contribution of these minerals to the geochemical pattern of these rocks.-
Appears in Collections:PPGECRN - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_EstudoGeoquímicoMineral.pdf4,4 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.