Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/6363
Título: Herbivoria foliar em populações e espécies arbóreas cogenéricas entre florestas paludosas e de encosta.
Autor(es): Pereira, Jaqueline Alves
Orientador(es): Sousa, Hildeberto Caldas de
Ribeiro, Sérvio Pontes
Palavras-chave: Ecologia florestal
Encostas
Data do documento: 2015
Referência: PEREIRA, Jaqueline Alves. Herbivoria foliar em populações e espécies arbóreas cogenéricas entre florestas paludosas e de encosta. 2015. 56f. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais) - Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2015.
Resumo: Neste trabalho comparou-se a historia de vida de dois gêneros arbóreos (Myrcia e Clethra) em função da adaptação a diferentes ambientes e a suscetibilidade destes a herbivoria. As hipóteses deste trabalho são que o estresse por saturação hídrica do solo interfere na fenologia das plantas, na estrutura de copa e nos seus caracteres anatômicos foliares, refletindo nos padrões de herbivoria e suscetibilidade a insetos herbívoros. O estudo foi realizado em dois tipos fisionômicos de floresta tropical adjacentes, (Floresta Montana em encosta drenada e Floresta Paludosa de baixada) no Parque Estadual do Itacolomi, MG, Brasil. A fenologia foliar e herbivoria por mastigação e por insetos galhadores foram medidas e comparadas entre os gêneros e entre os dois tipos de ambientes. Para realizar medidas das possíveis estruturas anatômicas com potencial função de defesa, seis folhas de cada planta foram selecionadas e cortadas à mão livre na região mediana. Os resultados permitiram concluir que as espécies investigadas têm baixa esclerofilia, independente do tipo de solo, favorecendo a herbivoria por insetos de vida livre e não por insetos indutores de galhas. Observou-se também que quanto maior o CAP (circunferência à altura do peito) dos indivíduos do gênero Clethra, maiores as chances dessas plantas abrigarem alta abundância e diversidade de insetos herbívoros, e com isso terem maior perda de área foliar por herbivoria. Ficou claro porém, que a espessura da epiderme é o caráter responsável pela inibição da herbivoria na escala das folhas para os indivíduos de Clethra. Quanto à fenologia, plantas que lançaram folhas no período chuvoso foram mais atacadas por herbívoros. E por fim, as plantas em solo drenado foram mais atacadas por herbívoros, o que pode ter sido um reflexo da maior disponibilidade de recursos para esses indivíduos, sendo uma resposta direta da influência das condições hídricas do solo nas taxas de herbivoria. _____________________________________________________________________________________
ABSTRACT: This work sought to compare the life history of two arboreal genera (Myrcia and Clethra) in relation to their adaptions to their environments and susceptibility to herbivory. This work’s hypothesis was that the hydraulic stress from saturated soils affects the plant’s phenology, canopy structure and leaf anatomical features reflecting the patterns of herbivory and susceptibility to insect herbivores. The study was conducted in two physiognomic types of tropical forest (drained montane hillside forest and lowland swamp forest) in Itacolomi State Park, MG, Brazil. The herbivory by chewing and galling was measured and compared between genera and between the two types of environments. Each genus had phenological monitoring for thirteen months. To carry out measurements of the possible anatomical structures with potential defense functions, six leaves of each plant were selected and cut freehand in the central region. The results showed that the species investigated have low sclerophylly, regardless of the type of soil, favoring herbivory by free-living insects and not by gall-inducing insects. We also observed that the higher the CBH (Circumference at Breast Height) of Clethra individuals, the more likely these plants were to be harboring a high abundance and diversity of herbivorous insects, and thus have greater loss of leaf area per herbivory. It was clear however, that the epidermal thickness was the trait responsible for inhibiting herbivory on the leaf scales for Clethra individuals. Concerning phenology, plants that released leaves during the rainy season were most likely to be attacked by herbivores. Finally, the plants in drained soil were attacked more by free feeding, which may have been a reflection of the high resource availability for these individuals, a direct response to the influence of soil water conditions on herbivory taxon.
Descrição: Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/6363
Licença: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo autor, 08/03/2016, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta.
Aparece nas coleções:PPGEBT - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_HerbivoriaFoliarPopulações.pdf1,66 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciado sob uma Licença Creative Commons Creative Commons