Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3189
Título: Composição e configuração da paisagem e proposição de corredores como ferramenta para conservação : o Parque Estadual Serra do Rola Moça, Minas Gerais, como estudo de caso.
Autor(es): Salles, Débora Mello
Orientador(es): Itabaiana, Yasmine Antonini
Palavras-chave: Biodiversidade
Ecologia da paisagem
Ecologia aplicada - fragmentação
Biologia da conservação
Data do documento: 2013
Editora / Evento / Instituição: Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Referência: SALLES, D. M. Composição e configuração da paisagem e proposição de corredores como ferramenta para conservação : o Parque Estadual Serra do Rola Moça, Minas Gerais, como estudo de caso. 2013. 57f. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2013.
Resumo: A expansão das atividades humanas tem sido a principal responsável pela perda e/ou fragmentação dos habitats naturais, tornando as Unidades de Conservação fragmentos ou refúgios dentro de uma área maior alterada. Para garantir a conservação da biodiversidade a longo prazo nessas áreas é necessário um esforço de planejamento da paisagem, visando o incremento da heterogeneidade de habitats e da conectividade da paisagem no entorno. Dessa maneira, o planejamento em conservação deve considerar remanescentes de vegetação nativa situados dentro e fora das Unidades, requerendo a definição de estratégias de manejo que avaliem a paisagem como um todo. Para o desenvolvimento deste estudo elegeu-se o Parque Estadual Serra do Rola Moça e sua Zona de Amortecimento, o qual vem sofrendo pressões causadas tanto pela expansão urbana como pelas atividades agropecuárias e minerárias. Através da interpretação de imagens de satélite e visitas a campo foi elaborado o mapa de cobertura vegetal e uso do solo, com a definição de 13 classes, sendo cinco formações naturais e oito antrópicas. Para análise da ecologia da paisagem foram utilizadas métricas de composição, que permitiram quantificar os elementos da paisagem, estimando riqueza, diversidade e equabilidade. Os resultados indicaram que as formações naturais são dominantes na Zona de Amortecimento, mas que o desenvolvimento de atividades socioeconômicas no entorno do Parque é uma constante ameaça à conservação e à manutenção dos seus ambientes, tornando-se de fundamental importância o manejo dos ambientes naturais situados fora dos limites do Parque.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3189
Aparece nas coleções:PPGEBT - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_ComposiçãoConfiguraçãoPaisagem.pdf2,05 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.