Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3050
Título: Inflorescências da holoparasita de raízes Langsdorffia hypogaea (Balanophoraceae) como recurso chave para uma fauna generalista na estação seca.
Autor(es): Freitas, Luana da Silva
Orientador(es): Ribeiro, Sérvio Pontes
Palavras-chave: Ecossistemas montanos
Estratégias reprodutivas
Morfologia vegetal
Predação - biologia
Formiga - Brachymyrmex sp
Data do documento: 2012
Editora / Evento / Instituição: Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Referência: FREITAS, L. da S. Inflorescências da holoparasita de raízes Langsdorffia hypogaea (Balanophoraceae) como recurso chave para uma fauna generalista na estação seca. 2012. 68 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2012.
Resumo: Plantas que se reproduzem no período de baixa disponibilidade de recursos são importantes para a manutenção temporal de polinizadores e herbívoros. Foi testada a hipótese de que as inflorescências de Langsdorffia hypogaea são recursos-chave para parte da fauna em florestas sazonais por surgirem na estação seca e emitirem variados recursos em época de escassez. É esperada a existência de mecanismos para minimizar a herbivoria e otimizar a polinização. A reprodução da planta foi estudada em 2010 e 2011, em relação a sua duração, padrão fenológico, sincronia populacional e correlação com a pluviosidade. Baseado na morfologia floral e no comportamento dos animais visitantes procurou- se averiguar a potencial síndrome de polinização e levantar indícios de possíveis polinizadores e predadores. Após o término do período reprodutivo ocorrido em 2009 e 2010, os rizomas foram escavados para análise da estratégia reprodutiva (monocarpia ou policarpia). A floração é anual, de março a setembro, abrangendo todo o período de seca e parte do chuvoso. Houve sincronia populacional na floração de 2011 e emissão de botões em ambos os anos, sendo este correlacionado com a pluviosidade. A mortalidade pós evento reprodutivo sugere monocarpia (N= 21). As inflorescências são morfologicamente distintas, anteras com deiscência extrosa, estigma exposto acima do perianto e ausência de síndromes de polinização. Foram observados 259 artrópodes visitantes, a maioria Hymenoptera/Formicidae (149 indivíduos, 17 espécies), oito espécies de Aranae e quatro de outros insetos. Uma espécie de Coleoptera/Nitidulidae, o potencial polinizador, foi mais abundante (28% do total de visitantes na fase adulta), representados por adultos e larvas e apenas 12,5% dos agrupamentos de inflorescências chegaram à frutificação, em decorrência de predações. O alto investimento em reprodução atrai um grande número de herbívoros. Em contrapartida, a planta intercala períodos de alta e baixa sincronia populacional e oferta seus recursos reprodutivos no inverno, reduzindo a taxa de predação e aumentando a efetividade da polinização. Adicionalmente, o recurso em pleno período árido consiste de um recurso-chave ao atender as necessidades de uma fauna variada, principalmente espécies generalistas e oportunistas. __________________________________________________________________________________________
ABSTRACT: Premise of the study: Plants that reproduce during periods of low resource abundance support the temporal fauna. We tested the hypothesis that Langsdorffia hypogaea inflorescences are key resources for part of the fauna in seasonal forests due to their emergence in the dry season and varied resources. Mechanisms to minimize herbivory and optimize pollination are expected. Methods: We investigated the following reproductive traits in 2010 and 2011: duration of reproductive events, phenological pattern, population synchrony and correlation with rainfall. Based on floral morphology and analysis of flower visitors we gathered evidence of some potential pollinator and predator species. Plants were excavated for analysis of reproductive strategy (monocarpy or polycarpy). Key results: Flowering is annual, from March to September, during dry and wet seasons. Population synchrony present in the 2011 flowering event and bud emergence in both years, the latter correlated with rainfall. Post-reproductive death (N = 21) suggested monocarpy. The inflorescences are morphologically different, anthers with extrorse dehiscence, stigma exposed above the perianth, and absence of pollination syndromes. In total, 259 arthropods visited the plants, mostly Hymenoptera/Formicidae (149 individuals, 17 species), eight species of Aranae and four species of other insects. A species of Coleoptera/Nitidulidae, and potential pollinator, was the most abundant (28% of total visitors), represented by adults and larvae. In both years, only 12.5% of all patches fructified due to predation. Conclusions: The plant alternates periods of high and low population synchrony and allocates its reproductive resources in winter to escape from predators attracted by the large investment in reproduction that results in high resource supply, while ensuring pollination and acting as a key resource in the system by supporting a varied fauna. The beetle of the family Nitidulidae is a potential pollinator of L. hypogaea
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3050
Aparece nas coleções:PPGEBT - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_InflorescênciasHoloparasitasRaíz.pdf1,44 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.