Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2988
Título: Ciclagem de nutrientes no sistema atmosfera-solo-planta em formação campestre e florestal sobre canga em Minas Gerais.
Autor(es): Valim, Eduardo André Ribeiro
Orientador(es): Kozovits, Alessandra Rodrigues
Palavras-chave: Ciclagem de nutrientes
Solo - planta
Formação campestre
Campos rupestres
Serapilheira
Data do documento: 2012
Editora / Evento / Instituição: Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Referência: VALIM, E. A. R. Ciclagem de nutrientes no sistema atmosfera-solo-planta em formação campestre e florestal sobre canga em Minas Gerais. 2012. 82 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2012.
Resumo: Em um ecossistema, a heterogeneidade na distribuição de grupos funcionais e na cobertura vegetal, em função de variações edafo-climáticas, pode levar a diferentes padrões na ciclagem de nutrientes, seja na produção e na qualidade da serapilheira, na velocidade de decomposição do material depositado ou nos mecanismos de retenção e liberação de elementos na parte aérea da vegetação durante eventos de chuva. Partindo desse princípio, seria a heterogeneidade de grupos funcionais e de condições edafo-climáticas encontradas em um complexo de campo ferruginoso, suficiente para resultar em padrões diferenciáveis de ciclagem de nutrientes e assim, impossibilitar a descrição de um único padrão para este ecossistema? O estudo foi conduzido em formações vegetacionais sobre diferentes tipos de canga, na Serra da Brígida em Ouro Preto (MG), onde distribuem-se habitats de campos ferruginosos predominantemente campestres, dominadas por plantas herbáceo-arbustivas e entremeadas de ilhas de vegetação mais densa com grupos herbáceo-arbóreo-arbustivos e, formação florestal considerada estacional semi-decidual. Durante um ano, em cada habitat, foram determinadas a produção, qualidade nutricional e decomposição da serapilheira, juntamente com o fluxo de nutrientes na serapilheira e na água da chuva percolada nas superfícies aéreas da vegetação (throughfall). A produção de serapilheira apresentou um padrão sazonal, com o habitat herbáceoarbustivo apresentando maior variação anual de deposição. Os pulsos de produção de serapilheira também variaram entre os habitats, ocorrendo em alguns períodos da estação chuvosa e na transição chuvosa-seca na formação campestre e, ao final da estação seca na formação florestal. Os habitats da formação campestre liberaram serapilheira de melhor qualidade nutricional, com maiores concentrações de Ca, N e P e menores razões C:N e C:P. Inicialmente, a decomposição de serapilheira foi mais acelerada na formação florestal e apresentou melhores correlações com o índice de área foliar e condições microclimáticas. Por outro lado, após um ano, as porcentagens de massa da serapilheira perdida nos habitats da formação campestre, mais evidentemente nas ilhas de vegetação arbórea, se igualaram aos valores obtidos na formação florestal, padrão que possivelmente está relacionado com a qualidade inicial da serapilheira, principalmente concentrações iniciais de N e P. Com relação ao fluxo de elementos, com exceção do K, a maior parte dos demais elementos retornou ao solo via serapilheira foliar. Melhores relações do fluxo de elementos do throughfall com o índice de área foliar foram obtidos para Fe e K. As ilhas de vegetação arbórea apresentaram maior importância da deposição seca no fluxo do throughfall, enquanto na formação florestal mais de 90% do fluxo de K e Mn ocorreram por processos de lixiviação com as superfícies aéreas. Desta forma, sobre um mesmo ecossistema de campo ferruginoso é possível encontrar diferentes padrões de ciclagem de nutrientes. __________________________________________________________________________________________
ABSTRACT: In an ecosystem, heterogeneity in the plant functional groups distribution and canopy cover, due to soil and climatic variations, may lead to different patterns of nutrient cycling, such as litterfall, leaf litter quality and leaf decomposition rate or in elements dynamics in throughfall. Based on this principle, it would be the heterogeneity of plant functional groups, soil and climatic conditions found in an iron rock outcrop sufficient to result in distinguishable patterns of nutrient cycling and thus precluding the description of a single default for this ecosystem? The study was conducted in plant formations on different types of cangas, in the Serra da Brígida in Ouro Preto (MG), where vegetation types are distributed predominantly in ferruginous fields of grassland, dominated by herbaceous plants, shrubs and interspersed with islands of dense vegetation with groups of herb-shrub-tree plants and forest formation considered seasonal semideciduous forest. During one year in each habitat, litterfall, litter nutritional quality and leaf litter decomposition, along with the nutrient fluxes via litterfall and throughfall were determined. The litterfall showed a seasonal pattern, with the herb-shrub habitat with higher seasonality. The pulses of litterfall also varied among habitats, occurring in some periods of the rainy and the transition rainy-dry season in field sites and at the end of the dry season in the forest sites. The habitats of the field sites released litter of higher nutritional quality, with higher concentrations of Ca, N and P and lower C: N and C: P ratios. Initially, the leaf litter decomposition was faster in semi-deciduous forest and showed better correlations with leaf area index and microclimatic conditions. On the other hand, after one year, the litter mass percent lost in the field sites habitats, most evidently in the tree islands, were equal to the values obtained in the forest, a pattern that is possibly related to the initial litter quality, mainly initial N and P concentrations. With respect to the elements fluxes, except K, most of the other elements returned to the soil through leaf litter. Better relations in throughfall elements fluxes and leaf area index were obtained for Fe and K. The tree islands showed greater importance of the dry deposition in throughfall fluxes, while more than 90% of K and Mn fluxes in semi-deciduous forest were due to canopy leaching. Thus, on an ecosystem of the same climate is possible to finding different nutrient cycling patterns.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2988
Aparece nas coleções:PPGEBT - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISERTAÇÃO_CiclagemNutrientesSistema.PDF3,13 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.