Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2958
Título: Fungos associados à macroalgas do litoral do Paraná e Península Antártica.
Autor(es): Loque, Carolina Pessanha
Orientador(es): Rosa, Luiz Henrique
Palavras-chave: Macroalgas
Fungos agrícolas
Fungos associados
Península Antártica
Paraná
Data do documento: 2009
Editora / Evento / Instituição: Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Referência: SILVA, A. R. da. Fungos associados à macroalgas do litoral do Paraná e Península Antártica. 2009. 76 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2009.
Resumo: Estudos de fungos associados à macroalgas marinhas são incipientes no Brasil e em ecossistemas antárticos. O estudo destes fungos é de grande relevância devido à possibilidade da descoberta de novas espécies e suas relações ecológicas ou interações bioquímicas com as macroalgas hospedeiras. Neste trabalho foi avaliada a diversidade de espécies de fungos associados à macroalgas presentes no litoral do estado do Paraná (Brasil) e na Baía do Almirantado, Ilha Rei George (Península Antártica). Para isolamento dos fungos algícolas associados foram coletadas no litoral do Paraná as espécies de macroalgas: Bostrychia radicans e Caloglossa leprieurii (Rhodophyta); Gayralia oxysperma e Monostroma sp. (Chorophyta); e Padina gymnospora (Phaeophyceae). Na Antártica Adenocystis utricularis e Desmarestia anceps (Phaeophyceae) e Palmaria decipiens (Rhodophyta). No total foram obtidos 454 isolados de fungos associados às macroalgas estudadas. Destes, 379 (83,5%) foram obtidos das amostras do litoral do Paraná, representados por 301 fungos filamentosos e 78 leveduras. Associados às macroalgas da Antártica foram obtidos 75 (16,5%) isolados, representados por 27 fungos filamentosos e 48 leveduras. Os isolados algícolas obtidos foram agrupados em morfoespécies a partir de suas características fisiológicas, morfológicas ou pelo polimorfismo genético utilizando técnicas de biologia molecular. Um representante de cada morfoespécie foi identificado por meio de sequenciamento de regiões ITS e dos domínios D1/D2 do rRNA gene para os fungos filamentosos e leveduras, respectivamente. Nas macroalgas do litoral do Paraná foram identificadas as espécies de leveduras dos gêneros Candida, Cystofilobasidium, Debaryomyces, Geotrichum, Hanseniaspora, Hortaea, Pichia, Rhodotorula e Trichosporon. Nas macroalgas da Antártica foram identificados os fungos pertencentes aos gêneros Geomyces, Antarctomyces, Oidiodendron, Penicillium, Phaeosphaeria, Metschnikowia, Rhodotorula e Cryptococcus. Todas as espécies de leveduras encontradas no Paraná não são consideradas como específica das algas estudadas. Diferentemente dos resultados aprentados na Antártica, onde a levedura Metschnikowia australis prevaleceu associada às algas daquela região. Os resultados deste trabalho fazem parte do projeto PROANTAR e representam o primeiro estudo de fungos associados às macroalgas marinhas do Paraná e da Antártica e contribui para o conhecimento taxonômico e ecológico de fungos marinhos presentes em ambientes polares e na costa sul do Brasil. __________________________________________________________________________________________
ABSTRACT: There are no extensive studies concerning fungi associated with seaweeds in Brazilian and Antarctic littoral. These studies are relevant because of the possibility of discovering novel fungal species and their ecological relationship with seaweeds hosts. This study evaluated the richness of fungi species associated with seaweeds at the coast of Paraná state, Brazil, and at Admiralty Bay, at King George Island, Antarctica. In order to isolate algicolous fungi, the seaweeds Bostrychia radicans and Caloglossa leprieurii (Rhodophyta); Gayralia oxysperma and Monastrama sp. (Chorophyta); and Padina gymnospora (Phaeophyceae) were collected at Paraná coast. Adenocystis utricularis and Desmarestia anceps (Phaeophyceae) and Palmaria decipiens (Rhodophyta) at Antarctic littoral. A total of 454 fungi isolates associated with the selected seaweeds were obtained, being 379 (83,5%) from Paraná samples (301 filamentous fungi and 78 yeasts) and 75 (16,5%) from the Antarctic ones (27 filamentous fungi and 48 yeasts). The algicolous isolates were grouped in morphospecies according to their macroscopic and physiological characteristics, or by genetic polimorfism using molecular biology techniques. One isolate of each group was then selected to molecular identification by sequencing the ITS region and D1/D2 domains of rRNA gene, for filamentous fungi and yeasts, respectively. The taxa Candida, Cystofilobasidium, Debaryomyces, Geotrichum, Hanseniaspora, Hortaea, Pichia, Rhodotorula, and Trichosporon were found associated with seaweeds from Paraná; and Geomyces, Antarctomyces, Oidiodendron, Penicillium, Phaeosphaeria, Metschnikowia, Rhodotorula, and Cryptococcus associated with Antarctic seaweeds. This study is part of the Brazilian Anarctic Programme (PROANTAR) and is the first study regarding fungi associated with seaweeds from Paraná and Antarctic littoral, and our results contribute to the taxonomic and ecological knowledge about marine fungi from Brazilian and polar ecosystems.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2958
Aparece nas coleções:PPGEBT - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISERTAÇÃO_FungosAssociadosMacroalgas.pdf4,89 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.