Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2136
Título: Etnozoologia e conservação da biodiversidade em comunidades rurais da Serra do Ouro Branco, Minas Gerais.
Autor(es): Pinto, Lorena Cristina Lana
Orientador(es): Pires, Maria Rita Silvério
Palavras-chave: Conhecimento tradicional
Fauna terrestre
Zoologia
Unidades de conservação
Etnobiologia
Data do documento: 2011
Editora / Evento / Instituição: Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Referência: PINTO, L. C. L. Etnozoologia e conservação da biodiversidade em comunidades rurais da Serra do Ouro Branco, Minas Gerais. 2011. 95 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2011.
Resumo: A presente dissertação foi desenvolvida sob a ótica da etnozoologia e teve como objetivo avaliar como os moradores rurais de três povoados da Serra do Ouro Branco, Minas Gerais compreendem e se relacionam com a fauna da região além de averiguar a opinião destes moradores sobre a criação, na Serra do Ouro Branco, de duas unidades de conservação. Para a obtenção dos dados foram realizadas entrevistas semi-estruturadas e abertas com 107 moradores. A fim de determinar a fauna conhecida, foi utilizada a metodologia lista livre, e para a certificação dos mesmos utilizou-se uma prancha de fotografias contendo animais da região. A análise dos dados seguiu o modelo de união das diversas competências individuais. A maior parte dos entrevistados da Serra do Ouro Branco tem idade entre 30 e 60 anos e baixa escolaridade, sendo em sua maioria representados por donas de casa, autônomos e aposentados. Mais de 50% dos entrevistados residem nos povoados deste que nasceram. No total foram citadas 61 espécies animais classificadas popularmente como bichos do mato (fauna silvestres) e animal (fauna doméstica). Mamíferos foi o grupo zoológico mais conhecido, seguido por répteis e anfíbios. O conhecimento popular dos moradores sobre os aspectos ecológicos e biológicos dos animais foi condizente com os dados da literatura científica, evidenciando que os residentes conhecem e se relacionam com a fauna local. Dentre os animais mencionados como pouco avistadas nos povoados, em relação há tempos atrás, quatro espécies assumiram categorias preocupantes do ponto de vista da conservação. Os usos da fauna pelos moradores foram: alimentar, medicinal e comercial, sendo este último uso restrito ao trinca ferro (Saltator sp.). Tanto animais silvestres quanto domésticos são utilizados com finalidade medicinal sendo, a gordura o produto animal mais habitual para tratar enfermidades. Tatu e paca são as espécies mais caçadas com fins alimentares, devido à facilidade de captura e à preferência pela carne, além disso, estes animais são capturados com tipos variados de armadilhas. Os moradores da Serra do Ouro Branco consideram positiva a presença de unidades de conservação neste local, pois acreditam que poderá proteger a Serra, porém, várias respostas demonstram que os moradores estão alheios ou desinformados sobre os propósitos das UC’s. Os dados obtidos neste trabalho poderão ser utilizados no plano de manejo do Parque Estadual da Serra do Ouro Branco e Monumento Natural Estadual do Itatiaia, no sentido de fornecer informações confiáveis, sobre as relações das populações humanas residentes nesta Serra, com a fauna local. Além disso, a capacitação desses moradores como guia de turismo e guarda-parques constituem alternativas extremamente viáveis e interessantes para se alcançar a conservação junto à população local. ____________________________________________________________________________________________________
ABSTRACT: This study was developed from the perspective of ethnozoology and aimed to assess how residents of three rural villages in Serra do Ouro Branco understand and relate to the fauna of the region; besides, knowing their perception about the creation of a conservation area in Serra do Ouro Branco. To obtain the data, semi-structured and open interviews were carried out with 107 residents of Serra. In relation to the known fauna, the free list methodology was used and for their certification a board containing pictures of animals in the region was used. The data analysis followed the union model of the different individual competences. It was found that most respondents were aged between 30 and 60 years old in addition to low education, mostly represented by housewives and retirees. More than 50% of respondents dwell in the villages since they were born. In total, 61 species were classified as forest animals (wildlife) and animal (domesticated fauna), however, the mammals were the most known zoological group, followed by the reptiles and the amphibians. The popular knowledge of the residents about the ecological and biological aspects of the animals was consistent with the scientific literature data, showing that residents know and relate to the representatives of the zoological groups studied. The animal species listed as rarely seen in the villages took four stages of conservation concern. The uses of the fauna by residents were: feeding, medical and commercial, the last one restricted used for trinca-ferro (Saltator sp.). Both wild and domestic animals were used for medicinal purposes. The most commonly used product to treat animal diseases was fat. Armadillo and paca were the most hunted species used for feeding because of the ease of capture and the preference for meat. These animals were caught using various types of traps. Thirty-one percent of residents of Serra do Ouro Branco considered that the presence of a conservation area is good because it will protect the Serra, yet, many inhabitants reported they are unaware or uninformed about this initiative. The data obtained in this work can be used in the management plan for the State Park of Serra do Ouro Branco in order to provide reliable information about the relationships of human populations with the surrounding fauna. In addition, the training of residents as tour guides and park rangers would be extremely viable and interesting alternatives to achieve conservation along with the locals.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2136
Aparece nas coleções:PPGEBT - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_EtnozoologiaConservaçãoBiodiversidade.pdf.pdf9,55 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.