Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2130
Título: Estrutura de comunidade de pequenos mamíferos em áreas afetadas por plantações de milho (Zea mays) e estradas na Serra do Ouro Branco, Minas Gerais.
Título(s) alternativo(s): Community structure of small mammals in areas affected by maize plantations (Ze mays) and roads in Ouro Branco Mountain, Minas Gerais.
Autor(es): Braga, Caryne Aparecida de Carvalho
Orientador(es): Pires, Maria Rita Silvério
Palavras-chave: Ecologia de ecossistemas
Serra do Ouro Branco - Ouro Branco - MG
Data do documento: 2011
Editora / Evento / Instituição: Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Referência: BRAGA, C. A. de C. Estrutura de comunidade de pequenos mamíferos em áreas afetadas por plantações de milho (Zea mays) e estradas na Serra do Ouro Branco, Minas Gerais. 2011. 86 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Biomas Tropicais) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2011.
Resumo: Os pequenos mamíferos não-voadores do Brasil pertencem às ordens Rodentia e Didelphimorphia e correspondem a 298 espécies, compreendendo 43% da diversidade de mamíferos do país. A Mata Atlântica e o Cerrado são o segundo e terceiro biomas mais ricos em espécies de mamíferos no Brasil. A Serra do Ouro Branco, local onde foi realizado este estudo, localizada na porção sul da Cadeia do Espinhaço, é uma área de transição entre o Cerrado e a Mata Atlântica. A situação do Espinhaço é extremamente grave em relação a conservação de mamíferos devido a destruição e fragmentação de habitats e, embora tenha uma grande importância na manutenção da diversidade de pequenos mamíferos, existem lacunas de conhecimento relacionadas a inventários, sistemática, distribuição geográfica e ecologia deste grupo. Neste contexto, o presente estudo tem o objetivo de contribuir para o conhecimento das espécies de pequenos mamíferos da Serra do Ouro Branco, bem como avaliar os impactos que estas sofrem através da agricultura e apresentar informações sobre a biologia das espécies. No primeiro capítulo é apresentado um levantamento das espécies da serra do Ouro Branco através de dois anos de amostragem. Foram encontradas 17 espécies de pequenos mamíferos, sendo 11 de roedores e seis de marsupiais. As espécies são características dos três biomas que compõe a Cadeia do Espinhaço (Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica) e a área representa um local importante para a conservação, sua composição foi diferente de outras áreas amostradas na região e foram encontradas espécies consideradas raras em levantamentos. É de conhecimento que a agricultura causa alterações no habitat e que essas alterações influenciam a fauna presente no local. No entanto, estudos objetivando descobrir as respostas específicas a plantações são menos abundantes, principalmente com mamíferos. No segundo capítulo foram avaliados os efeitos de plantações de milho sobre as comunidades de pequenos mamíferos, levando em consideração de que algumas espécies podem se favorecer, utilizando 11 o milho como alimento. Foi montado um experimento, com três réplicas para cada tratamento, para avaliar as respostas das espécies ao milho. Assim três áreas de borda com plantação eram o tratamento de análise, três áreas de interior de fragmento eram o controle para o tratamento borda e três áreas de borda com estrada eram o controle para a oferta de alimento proporcionada pela plantação. Os animais capturados foram medidos, era oferecido milho e outros alimentos para avaliar se era um recurso utilizado pela espécie. Posteriormente os animais eram marcados e soltos. Os pequenos mamíferos foram afetados pela matriz em contato imediato com a floresta, pois a composição, a riqueza, a abundância e a eqüitabilidade variaram entre os três tratamentos. A matriz correspondente à plantação de milho serviu fonte de recurso principalmente para O. nigripes e favoreceu esta espécie, permitindo maior estabilidade ao longo do ano em áreas de borda com plantação. No terceiro capítulo são apresentados dados de demografia e cuidado parental de Oligoryzomys nigripes, espécie mais abundante durante todo o estudo. Sua abundância variou em resposta a estação do ano, com maiores valores na estação seca/chuvosa e os menores na estação seca. A abundância de juvenis sempre foi maior que a dos adultos, principalmente nos meses de seca. Foram capturadas três fêmeas lactantes junto aos seus respectivos filhotes e foram observados comportamentos relacionados ao cuidado parental. Diante de qualquer aproximação da fêmea ou dos filhotes, esta os agrupou sob o corpo e atacou com mordidas. Nestes eventos, os filhotes se encontravam bem desenvolvidos e já se alimentavam sozinhos, no entanto, foram amamentados ao longo do dia e da noite. ____________________________________________________________________________________________________
ABSTRACT: The brazilian small mammals belong to the Rodentia and Didelphimorphia orders, including 298 species, or 43% of the mammal diversity of the country. The Atlantic Forest and Cerrado are among the mammal species richest biomes of Brazil. The Ouro Branco mountain, where this study was conducted, is located in the Espinhaço mountain range, a transition area between Atlantic Forest and Cerrado biomes. The intense habitat fragmentation and destruction of the Espinhaço mountain range is the great treat for the conservation of its mammalian fauna. Despite of the great importance of this area, due to the high diversity of small mammals, there are knowledge gaps related to inventories, systematic, geographic distribution and ecology for this group. In this context, our study aimed to be a contribution for the knowledge of the species composition of the Ouro Branco mountain. We also presented some information about the biology of the species and analysed the impacts that the different species are facing due to agriculture. In the first chapter we present the results of an inventory of the small mammal species of Ouro Branco mountain collected in two years sampling. We found 17 species, being 11 rodents and six marsupials. The species are characteristic of the three biomes that characterize the Espinhaço Mountain Range as a whole,the Atlantic Forest, the Caatinga and the Cerrado. The study area represents an important location for the conservation because their composition was different of the other areas already studied in the Espinhaço Mountain Range and we found some species considered rare in inventories. The agriculture causes habitat changes, that influence the local fauna. However, studies aiming to find out species specific answers for the plantations impact are rare, mainly for the mammals. In this work, we studied the effects of maize plantations on small mammal communities, considering that some species could be favored by using this resource. We draw an experiment with three replicates for each treatment aiming the evaluation of the species answers to maize plantations. Thus, three edge areas between forest and maize plantations, 13 were the treatment; three areas of interior of forest fragment, were the control to the edge treatment, and three edge areas between forest and roads, were the control to the treatment availability of food provided by plantation. The captured animals were measured, sexed and classified according to the age classes. They were kept in laboratory, were it was offered corn maize and other foods to assess whether it was a resource used by the species. Latter the animals were tagged and released. The small mammals community were affected by the adjacent matrix , this could be concludedbecause the composition, richness, abundance and equitability values varied between the three treatments. The matrix of maize plantation served as food resource especially for Oligoryzomys nigripes and favored this species, allowing greater stability throughout the year in the areas near the edges between plantation and forest than in the other treatments. In the third chapter we present data from demographics and parental care of the population of Oligoryzomys nigripes of Ouro Branco mountain. Oligoryzomys nigripes was the most abundant species in the study area throughout the year, although its abundance varied seasonally. The highest abundance values occurred in the rainy/dry season and the lowest in the dry season. Juveniles were always more abundant than adults, mainly in the months of drought. Three lactating females were captured with their offsprings and parental care behaviors were observed. These females protected the puppies by keeping them under their bodies and displayed the intent to bite, when threatened by the approach of any kind of threat. The puppies were well developed, independently feeding, however, still nursing during the observed capturing events.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/2130
Aparece nas coleções:PPGEBT - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_EstruturaComunidadePequenos.pdf3,11 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.