Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/16495
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSantiago, Aníbal da Fonsecapt_BR
dc.contributor.authorRigotto, Luiz Henrique Lopes-
dc.date.accessioned2023-05-02T18:32:06Z-
dc.date.available2023-05-02T18:32:06Z-
dc.date.issued2022pt_BR
dc.identifier.citationRIGOTTO, Luiz Henrique Lopes. Caracterização espectroscópica de amostras de lagoas de estabilização utilizadas no tratamento de esgoto e lixiviado de aterro sanitário. 2022, 155 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental) – Núcleo de Pesquisas e Pós-Graduação em Recursos Hídricos, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2022.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/16495-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental. Núcleo de Pesquisas e Pós-Graduação em Recursos Hídricos, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractAs tecnologias adotadas em ETEs induzem à transformação da matéria orgânica presente no efluente. Tais transformações de compostos orgânicos, bem como a geração de produtos microbianos solúveis, pode afetar o potencial poluidor do efluente final. A transformação da matéria orgânica em ETEs, e seu consequente despejo em mananciais, foi tema de pesquisas em diversos sistemas de tratamento, porém as lagoas de estabilização ainda são pouco estudadas no contexto da transformação e impactos da matéria orgânica. Dado que o processo de tratamento em lagoas de estabilização é predominantemente biológico, a matéria orgânica passa por diferentes transformações relacionadas à sua utilização por microrganismos. Conforme a tipologia de lagoa, espera-se que a matéria orgânica ali presente seja representativa dos processos físicos, químicos e biológicos decorrentes. Com isso, é importante entender as transformações da composição da matéria orgânica em função dos processos de tratamento. Esse entendimento pode apoiar o desenvolvimento de técnicas de tratamento e monitoramento e, eventualmente, reduzir impactos negativos. Com o estudo realizado pretendeu-se abordar a questão da matéria orgânica em lagoas de estabilização, com foco nas transformações das frações dissolvida e particulada. Para explorar o tema, foi feito um estudo de caso com base na ETE Ouro Branco, na cidade de Ouro Branco, Minas Gerais. A ETE escolhida faz cotratamento de esgoto sanitário e lixiviado de aterro em lagoas de estabilização anaeróbias e facultativas. A matéria orgânica foi avaliada utilizando ferramentas espectroscópicas, como espectroscopia UV-Vis e fluorescência molecular, que podem oferecer mais informações sobre a qualidade da matéria orgânica que outras análises, como DBO e DQO. Os resultados da pesquisa indicaram que há predominância de componentes tipo-húmicos e tipo-produtos microbianos solúveis em todas as etapas do tratamento. O afluente ao sistema e efluente final possivelmente apresentam a matéria orgânica mais complexa. No caso do afluente atribuiu-se à adição do lixiviado e no caso do efluente final atribuiu-se aos produtos algais solúveis. A matéria orgânica no efluente final pode ser menos biodegradável que a matéria orgânica do afluente, apesar de isso não significar que o efluente final é mais poluente que o afluente ao sistema. Os resultados demonstram como as técnicas espectroscópicas podem fornecer muito mais informações sobre a matéria orgânica dissolvida que os métodos tradicionais de DBO e DQO. Essas informações, por fim, conferem uma percepção mais aprofundada sobre a matéria orgânica em sistemas de tratamento por lagoas de estabilização. O estudo feito figura como um dos primeiros a investigar as características da matéria orgânica em sistemas de tratamento por lagoas de estabilização via técnicas espectroscópicas, sendo o primeiro a relatar sob a perspectiva do cotratamento de esgoto e lixiviado. Com a sua realização, foi possível contribuir para a expansão do entendimento sobre a matéria orgânica em lagoas de estabilização.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.subjectSaneamento - tratamento de esgotopt_BR
dc.subjectÁguas residuais - purificação - lagoas de estabilizaçãopt_BR
dc.subjectMatéria orgânicapt_BR
dc.subjectQuimiometria - decomposição em fatores paralelospt_BR
dc.subjectAterro sanitário - lixiviaçãopt_BR
dc.titleCaracterização espectroscópica de amostras de lagoas de estabilização utilizadas no tratamento de esgoto e lixiviado de aterro sanitário.pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 10/04/2023 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeSantiago, Aníbal da Fonsecapt_BR
dc.contributor.refereeMoreira, Renata Pereira Lopespt_BR
dc.contributor.refereeAquino, Sergio Francisco dept_BR
dc.description.abstractenThe treatment types adopted in wastewater treatment plants induce the transformation of organic matter present in the effluent. The transformation of organic compounds, as well as the generation of soluble microbial products, can affect the polluting potential of the final effluent. The transformation of organic matter in WWTPs, and its consequent discharge into water supplies, has been the subject of research in several treatment systems. Stabilization pond systems have been little studied in the context of organic matter transformation and possible impacts. Since the treatment process in stabilization ponds is predominantly biological, the organic matter undergoes different transformations related to its utilization by microorganisms. Depending on the type of pond, the organic matter present there is expected to be representative of the ensuing physical, chemical and biological processes. Therefore, it is important to understand the transformations of organic matter composition as a function of treatment processes. This study aimed to address the issue of organic matter in stabilization ponds, focusing on the transformations of the dissolved and particulate fractions. To explore the theme, a case study was conducted based on the ETE Ouro Branco. The chosen WWTP performs co-treatment of sanitary sewage and landfill leachate in anaerobic and facultative stabilization ponds. The organic matter was evaluated using spectroscopic tools, such as UV- Vis spectroscopy and molecular fluorescence, which can provide more information about the quality of the organic matter than other analyses, such as biochemical oxygen demand and chemical oxygen demand. The results of the research indicated that there is a predominance of humic-like and soluble microbial products-like components in all treatment steps. The inflow to the system and the final effluent possibly present the most complex organic matter. In the case of the inflow, it was attributed to the addition of the leachate and in the case of the final effluent was attributed to soluble algal products. The organic matter in the final effluent may be less biodegradable than the organic matter in the affluent, although this does not mean that the final effluent is more polluting than the affluent. The results demonstrate how spectroscopic techniques can provide much more information on dissolved organic matter than traditional BOD and COD methods. This information can ultimately give further insight into organic matter in stabilization pond treatment systems. This research is one of the first to investigate the characteristics of organic matter in treatment systems by stabilization ponds via spectroscopic techniques, being the first to report from the perspective of the co-treatment of sewage and leachate. With this work, it was possible to further deepen the understanding of organic matter in stabilization ponds.pt_BR
Appears in Collections:PROAMB - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_CaracterizaçãoEspectroscópicaAmostras.pdf3,64 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons