Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/14915
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorRudnitzki, Isaac Danielpt_BR
dc.contributor.advisorDanderfer Filho, Andrépt_BR
dc.contributor.authorConti, Anderson França-
dc.date.accessioned2022-06-01T20:01:44Z-
dc.date.available2022-06-01T20:01:44Z-
dc.date.issued2020pt_BR
dc.identifier.citationCONTI, Anderson França. Estratigrafia e análise de fácies da sucessão carbonática da porção nordeste da serra do Iuiú (BA). 2020. 83 f. Dissertação (Mestrado em Evolução Crustal e Recursos Naturais) – Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2022.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/14915-
dc.descriptionPrograma de Pós-Graduação em Evolução Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.pt_BR
dc.description.abstractA Serra do Iuiú, situada na região centro-sul da Bahia e adjacente à cidade homônima, na porção leste da Bacia do São Francisco, apresenta uma sucessão de pelitos e carbonatos que foi associada a diferentes formações do Grupo Bambuí, por diferentes entidades de estudo. Apesar da região estar previamente mapeada com base litoestratigráfica, esta área, bem como as unidades que a compõem, carece de estudos de análises de fácies e estratigráficos voltados à reconstrução paleoambiental. Além disso, estas unidades representam a porção superior do Grupo Bambuí e, registraram a passagem do Ediacarno-Cambriano, um importante intervalo de tempo marcado por expressivas mudanças bioevolutivas e alterações nos fatores controladores da fábrica carbonática marinha. A Serra do Iuiú, em etapa de campo, apresentou exposição de qualidade com extensão lateral e vertical expressivas, que permitiram realizar trabalhos faciológicos e estratigráficos. Dessa forma, a presente dissertação realizou estudo de fácies sedimentares, microfácies e quimioestratigrafia em seções da porção nordeste da Serra do Iuiú. Esse estudo revelou a construção do arcabouço estratigráfico, considerando a evolução paleoambiental e quimioestratigrafica, bem como discutiu sobre processos de sedimentação carbonática dominantes na transição do Ediacarano-Cambriano. Com base em quatro perfis estratigráficos, foi possível reconhecer duas unidades litoestratigráficas, na base a Formação Serra de Santa Helena, representada por pelititos, margas e nódulos carbonáticos, que passam de forma transicional para a Formação Lagoa do Jacaré, que consiste em calcário, calcários impuros e arenitos carbonáticos. O estudo de fácies sedimentar sugere que a sucessão siliciclástica-carbonática da Serra do Iuiu registra uma rampa carbonática mista, com controle de distribuição de sedimentação batimétrico. Em águas rasas, predominava sedimentação carbonática (Fm. Lagoa do Jacaré) e em águas profundas, abaixo da onda de tempestade, prevalecia sedimentação siliciclástica fina. Os dados geoquímicos de δ 13C (9.71 a 10.77‰), δ 18O (-9.51a -6.74‰) e as razões de 87Sr/86Sr (0.7069 a 0.7085) com teores de Sr entre 1072 e 1384 ppm, sugerem que esta sucessão representa o registro da transição Ediacarara-Cambriana.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsabertopt_BR
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.subjectGeologia estratigráfica - neoproterozóicopt_BR
dc.subjectFácies - geologiapt_BR
dc.subjectCarbonatospt_BR
dc.subjectBacia do Rio São Franciscopt_BR
dc.titleEstratigrafia e análise de fácies da sucessão carbonática da porção nordeste da serra do Iuiú (BA).pt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
dc.rights.licenseAutorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 07/04/2020 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.pt_BR
dc.contributor.refereeRudnitzki, Isaac Danielpt_BR
dc.contributor.refereeCastro, Paulo de Tarso Amorimpt_BR
dc.contributor.refereeAmorim, Kamilla Borgespt_BR
dc.description.abstractenThe Iuiú Hill, located in the south-central region of Bahia and adjacent to the homonymous city, in the eastern portion of the São Francisco Basin, presents a succession of pelites and carbonates that were associated with different formations of the Bambuí Group, by different study entities. Although the region was previously mapped on a lithostratigraphic basis, this area, as well as the units that compose it, lacks studies of facies and stratigraphic analyzes aimed at paleoenvironmental reconstruction. Also, these units represent the upper portion of the Bambuí Group and possibly recorded the passage of the Ediacaran-Cambrian, an important time interval marked by significant bioevolutionary changes and controlling factors alteration of the marine carbonate fabric. The Iuiú Hill, in the field stage, presented a quality exhibition with expressive lateral and vertical extension, which allowed to realize faciological and stratigraphic works. Thus, the present dissertation carried out a study of sedimentary facies, microfacies, and chemostratigraphy in sections of the northeast portion of Iuú Hill. This study revealed the construction of the stratigraphic framework, considering the paleoenvironmental and chemostratigraphic evolution, as well as discussing dominant carbonate sedimentation processes in the transition from Ediacaran-Cambrian. Based on four stratigraphic profiles, it was possible to recognize two lithostratigraphic units, at the base the Serra de Santa Helena Formation, represented by pelites, marl, and carbonate nodules, which pass in a transitional way to the Lagoa do Jacaré Formation, which consists of limestone, limestone impure and carbonate sandstones. The study of sedimentary facies suggests that the siliciclastic-carbonate succession of Iuiu Hill registers a mixed carbonate ramp, with bathymetric sedimentation distribution control. In shallow waters, carbonate sedimentation predominated (Fm. Lagoa do Jacaré), and in deep waters, below the storm wave, fine siliciclastic sedimentation prevailed. The geochemical data of δ 13C (9.71 to 10.77 ‰), δ 18O (-6.74 to -9.51 ‰) and the 87Sr/86Sr (0.7069 to 0.7085) ratios with Sr levels between 1072 and 1384 ppm, suggest that this succession represents the record of the Ediacaran-Cambrian transition.pt_BR
Appears in Collections:PPGECRN - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_EstratigrafiaAnáliseFácies.pdf7,45 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons