Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/14866
Title: Mobilidade pedonal e o efeito barreira das rodovias urbanas : as contradições e os conflitos no Anel Rodoviário Celso Mello Azevedo, em Belo Horizonte (MG).
Authors: Matos, Bárbara Abreu
metadata.dc.contributor.advisor: Lobo, Carlos Fernando Ferreira
Keywords: Planejamento urbano
Rodovias
Áreas de pedestres
Segregação urbana
Issue Date: 2022
metadata.dc.contributor.referee: Diniz, Alexandre Magno Alves
Oliveira, Marcos Fontoura de
Cardoso, Leandro
Nóbrega, Rodrigo Affonso de Albuquerque
Lobo, Carlos Fernando Ferreira
Citation: MATOS, Bárbara Abreu. Mobilidade pedonal e o efeito barreira das rodovias urbanas: as contradições e os conflitos no Anel Rodoviário Celso Mello Azevedo, em Belo Horizonte (MG). 2022. 208 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2022.
Abstract: A histórica priorização das políticas públicas dada aos modos de transporte individuais motorizados gerou (e ainda gera) expressivos impactos na mobilidade e no acesso da população no espaço urbano. Fruto da ação de agentes econômicos e sociais que o (re)produzem, com base nos interesses das classes dominantes, o espaço urbano tem sido remodelado na tentativa de suprir a demanda do fluxo de veículos e não das necessidades pessoas, conduzindo a reorganização do espaço de circulação, abertura de novas vias e criação de infraestrutura de suporte aos automóveis, não raro, potencializando conflitos e contradições. Nesse contexto, as infraestruturas de transporte têm comumente se tornado obstáculo à mobilidade e à acessibilidade, especialmente para as pessoas que se deslocam por modos ativos. Sua localização no ambiente urbano induz à ocorrência do fenômeno conhecido por “efeito barreira”, que causa uma forte segregação socioespacial e, consequentemente, reduzir diversas formas de contatos sociais, impactando diretamente no bem-estar e na liberdade de locomoção dos moradores. Esse efeito se materializa de forma mais intensa nas rodovias urbanas, visto que nesses locais a alta velocidade dos veículos, o intenso volume de tráfego e a própria infraestrutura que rompe o tecido urbano, causa a separação física das comunidades que residem nos bairros lindeiros às suas margens, como ocorre no Anel Rodoviário Celso Mello Azevedo, localizado em Belo Horizonte (MG). As rodovias urbanas também realçam as contradições e os conflitos do uso entre veículos e pedestres, incorrendo em privações de deslocamentos a pé, afetando as condições em que a mobilidade pedonal se realiza, potencializando os riscos e sinistros durante as travessias. Diante desse contexto, essa tese tem por objetivo analisar a mobilidade pedonal no entorno do Anel Rodoviário de Belo Horizonte, tendo como base a proposição de indicadores de mobilidade, acessibilidade e risco de travessia, bem como uma breve reflexão sobre os possíveis conflitos e contradições impostos ao fluxo de pedestres nesse espaço. Para tanto, propõe-se, primeiramente, a estimação dos atravessamentos de pedestres entre suas margens (dos cruzamentos nos dois sentidos) e a identificação das características dos pedestres que realizam esses deslocamentos, tendo como base os dados da série histórica recente da Pesquisa Origem e Destino da Região Metropolitana de Belo Horizonte (1992-2002-2012). Posteriormente, de posse dos dados mais recentes da Pesquisa OD da RMBH, realiza-se a aplicação dos indicadores propostos, correlacionando-os com fatores preponderantes para a avaliação do risco potencial de atravessamento, como fluxo de veículos, acidentalidade, características socioeconômicas dos pedestres, motivos de acesso e localização das ocupações irregulares. Os resultados indicam que, ao longo do período de análise, os fluxos de atravessamentos foram reduzidos, mesmo em áreas onde se registou crescimento populacional. O perfil dos pedestres também se modificou, com destaque para alterações na idade, sexo e renda dessas pessoas. Evidenciou-se, ainda, a prevalência dos atravessamentos pelos modos motorizados, as desigualdades no acesso às passarelas e o risco elevado para os pedestres que realizam os atravessamentos, cenário esse que se reflete em expressivas ocorrências de atropelamentos na rodovia.
metadata.dc.description.abstracten: The historical prioritization of public policies given to individual motorized modes of transportation has generated (and still generates) significant impacts on mobility and access of the population in urban space. Result of the action of economic and social agents that (re)produce it, based on the interests of the dominant classes, the urban space has been remodeled in an attempt to meet the demand of the flow of vehicles and not the needs of people, leading to the reorganization of the circulation space, opening of new roads and creation of infrastructure to support automobiles, not infrequently potentiating conflicts and contradictions. In this context, transportation infrastructures have commonly become obstacles to mobility and accessibility, especially for people who move by active modes. Their location in the urban environment induces the occurrence of the phenomenon known as "barrier effect", which causes a strong socio-spatial segregation and, consequently, reduce various forms of social contacts, directly impacting the well-being and freedom of movement of residents. This effect materializes more intensely in urban highways, since in these places the high speed of vehicles, the intense volume of traffic and the very infrastructure that breaks the urban fabric, causes the physical separation of communities living in the neighborhoods bordering its margins, as occurs in the Ring Road Celso Mello Azevedo, located in Belo Horizonte (MG). Urban highways also highlight the contradictions and conflicts of use between vehicles and pedestrians, incurring in deprivations of pedestrian travel, affecting the conditions in which pedestrian mobility takes place, increasing risks and accidents during crossings. Given this context, this thesis aims to analyze pedestrian mobility around the Belo Horizonte Ring Road, based on the proposition of mobility, accessibility and crossing risk indicators, as well as a brief reflection on possible conflicts and contradictions imposed on the pedestrian flow in this space. To this end, we propose, first, the estimation of pedestrian crossings between its margins (from two-way intersections) and the identification of the characteristics of pedestrians who make these trips, based on data from the recent historical series of the Origin and Destination Survey of the Metropolitan Region of Belo Horizonte (1992-2002-2012). Subsequently, in possession of the most recent data from the OD Survey of RMBH, the application of the proposed indicators is carried out, correlating them with preponderant factors for the evaluation of the potential risk of crossing, such as vehicle flow, accident rate, socioeconomic characteristics of pedestrians, reasons for access and location of irregular occupations. The results indicate that, throughout the period of analysis, crossing flows were reduced, even in areas where there was population growth. The profile of pedestrians has also changed, with emphasis on changes in the age, gender and income of these people. It was also evident the prevalence of crossings by motorized modes, the inequalities in access to pedestrian bridges and the high risk for pedestrians crossing, a scenario that is reflected in significant occurrences of pedestrian collisions on the highway.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/14866
Appears in Collections:Teses defendidas em outras Instituições

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE_MobilidadePedonalEfeito.pdf14,25 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons