Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10324
Título: Influência da origem do tripomastigota e da via de inoculação na evolução da infecção da cepa Colombiana de Trypanosoma cruzi em camundongos BALB/c.
Autor(es): Gonçalves, Karolina Ribeiro
Orientador(es): Bahia, Maria Terezinha
Caldas, Sérgio
Palavras-chave: Trypanosoma cruzi
Doença de Chagas
Coração - infecções
Data do documento: 2018
Membros da banca: Andrade, Luciana de Oliveira
Toledo, Max Jean de Ornelas
Vieira, Paula Melo de Abreu
Barreto, Rubem Figueiredo Sadok Menna
Bahia, Maria Terezinha
Referência: GOLÇALVES, Karolina Ribeiro. Influência da origem do tripomastigota e da via de inoculação na evolução da infecção da cepa Colombiana de Trypanosoma cruzi em camundongos BALB/c. 2018. 100 f. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas) - Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018.
Resumo: A doença de Chagas, causada pelo protozoário flagelado Trypanosoma cruzi, é uma doença negligenciada que afeta cerca de 6 a 7 milhões de pessoas no mundo, especialmente na América Latina. O T. cruzi pode ser transmitido pelas vias vetorial, oral, transfusional, congênita, dentre outras. Nas últimas décadas tem sido dada maior atenção à infecção oral, devido a ocorrência de frequentes surtos de transmissão oral, especialmente na região Amazônica. Nestes surtos foram observados sinais clínicos bem diferentes e mais severos dos encontrados usualmente nas áreas de transmissão vetorial. Neste contexto, é de extrema relevância o estudo da influência da via de inoculação na evolução da fase aguda da infecção por T. cruzi visando o melhor entendimento da evolução clinica mais grave e da maior taxa de mortalidade observada em indivíduos infectados pela via oral. Este estudo avaliou a taxa de infecção, a carga parasitária, as lesões teciduais, aspectos da resposta imune celular e humoral de animais inoculados através das vias oral, intragástrica, cutânea, ocular e intraperitoneal com tripomastigotas metacíclicos (TM) obtidos de cultura acelular ou tripomastigotas sanguíneos (TS) da cepa colombiana. Esta cepa, pertence à DTU (Unidades Taxonômicas Distintas) TcI, que tem sido associada à surtos agudos de doença de Chagas. Os resultados mostraram que a infecção de camundongos BALB/c por TS induz uma maior parasitemia em relação aos TM, considerando a mesma via de inoculação. De forma diferente, na quantificação do parasitismo por qPCR em amostras de tecidos (coração, baço, fígado, músculo esquelético, bochecha, língua, estômago, jejuno, colón e cérebro) foi detectado, de maneira geral, parasitismo tecidual mais intenso nas amostras coletadas de animais inoculados com TM em relação à TS, considerando a mesma via de inoculação. O parasitismo foi mais intenso e frequente nos tecidos musculares cardíaco e esquelético dos animais inoculados com TS. Entre os animais inoculados com TM o parasito foi detectado em todos os tecidos avaliados, sendo a maior carga parasitária detectada no fígado e no baço, com exceção dos animais inoculados com TM via cutânea, onde o parasitismo foi detectado esporadicamente e em baixos níveis em todos os tecidos analisados. De forma interessante, o parasito foi detectado com maior frequência no cérebro dos animais inoculados com TM em relação à TS, tendo sido detectado em 42 a 100% dos animais inoculados com TM pelas diferentes vias e em no máximo 30% dos animais que receberam TS. Em seguida foi analisada, quantitativamente, a intensidade da inflamação nos tecidos cardíaco, hepático e esplênico dos animais. Apesar do parasitismo mais intenso detectado nos animais infectados por TM, a intensidade da inflamação nestes tecidos foi maior, de forma geral, nos animais inoculados com TS, especialmente naqueles inoculados via IP. Estes resultados estão de acordo com os maiores níveis séricos de citocinas pró-inflamatórias, IFN-γ e TNF-α detectados nestes animais aos 15 dias após a infecção. Os níveis das citocinas IFN-γ e TNF-α permaneceram significativamente maiores nos animais inoculados por TS e TM aos 30 dias após a infecção, em relação aos animais do grupo controle não infectado, em concordância com o aumento da intensidade da inflamação nos diferentes tecidos analisados neste período. De forma geral, os resultados deste estudo mostraram uma marcada influência da via de inoculação e da origem do tripomastigota na infecção de camundongos, tendo sido detectado maior parasitismo sanguíneo, lesões teciduais mais intensas e maiores níveis séricos das citocinas IFN-γ e TNF-α nos animais inoculados com TS, em contraste com um parasitismo tecidual mais intenso e mais frequente (especialmente no cérebro) dos animais que receberam TM, considerando a mesma via de inoculação.
Resumo em outra língua: Chagas disease, caused by the flagellate protozoan Trypanosoma cruzi, is a neglected disease that affects about 6-7 million people worldwide, mostly in Latin America. T. cruzi is transmitted to humans through the infected faeces of the blood-sucking triatomine bug, blood transfusions, congenital transmission, oral transmission, among others. In recent decades, more attention has been given to oral infection, due to the occurrence of frequent outbreaks of oral transmission, especially in the Amazon region. In these outbreaks were observed very different and more severe clinical signs than those usually found in the areas of vector transmission. In this context, studies designed to evaluate of the influence of the inoculation route on the evolution of the acute phase of T. cruzi infection may be very relevant. This study evaluated the infection rate, parasite load, tissue lesions, aspects of the cellular and humoral immune response of animals inoculated by oral, intragastric, cutaneous, ocular and intraperitoneal routes with metacyclic trypomastigotes (MT) obtained from acellular culture or blood trypomastigotes (BT) of the Colombian strain. This strain belongs to DTU TcI, which has been associated with acute outbreaks of Chagas disease. Our results showed that the infection of BALB/c mice by BT induces higher levels of parasitemia in relation to MT, considering the same route of inoculation. Differently, the parasite load, detected by qPCR, in tissue samples (heart, spleen, liver, skeletal muscle, cheek, tongue, stomach, jejunum, colón and brain) was generally higher in samples collected from animals inoculated with MT in relation to BT, considering the same route of inoculation. The parasitism was more intense and frequent in the cardiac and skeletal muscle tissues of animals inoculated with BT. Among animals inoculated with MT the parasite was detected in all tissues evaluated, with the highest parasite load detected in the liver and spleen, except for the animals inoculated by cutaneous route, where parasitism was detected sporadically and at low levels in all the analyzed tissues. Interestingly, the parasite was detected more frequently in the brain of animals inoculated with MT compared to BT, being detected in 42 to 100% of the animals inoculated with MT through different routes and only up to of 30% of the animals that inoculated with BT. Next, the intensity of the inflammation in the cardiac, hepatic and splenic tissues was quantitatively analyzed. Despite the greater tissue parasitism detected in animals inoculated with MT, the tissue inflammation was generally more intense in those inoculated with BT, especially among animals inoculated through the intraperitoneal route. These results are in line with the higher serum levels of pro-inflammatory cytokines, IFN-γ and TNF-α, detected in these animals at 15 days post-infection. The cytokines IFN-γ and TNF-α persist in significantly higher levels in animals inoculated by BT and MT at 30 days post-infection, in relation to not-infected animals. These results are in agreement with the increased intensity of inflammation detected in most of tissues analyzed in this period. In general, our results showed an evident influence of the inoculation route as well as the trypomastigote origin on the outcome of the infection by Colombian T. cruzi strain. Higher levels of blood parasitism, tissue lesions and serum cytokines (IFN-γ and TNF-α) were detected in animals inoculated with BT. In contrast a more intense and frequent tissue parasitism was detected among those that received MT, considering the same route of inoculation.
Descrição: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa de Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10324
Licença: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 02/10/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Aparece nas coleções:PPCBIOL - Doutorado (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_InfluênciaOrigemTripomastigota.pdf1,85 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciado sob uma Licença Creative Commons Creative Commons