Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10015
Título: Efeito do tratamento com inibidor de protease do tipo Bowman-Birk na infecção pelo Trypanosoma cruzi.
Autor(es): Fonseca, Kátia da Silva
Orientador(es): Carneiro, Cláudia Martins
Palavras-chave: Doença de chagas
Inibidores enzimáticos proteolíticos
Quimioterapia
Data do documento: 2015
Membros da banca: Carneiro, Cláudia Martins
Lana, Marta de
Veloso, Vanja Maria
Santos, Silvana Maria Elói
Caliari, Marcelo Vidigal
Referência: FONSECA, Kátia da Silva. Efeito do tratamento com inibidor de protease do tipo Bowman-Birk na infecção pelo Trypanosoma cruzi. 2015. 87 f. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas) - Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018.
Resumo: A Doença de Chagas (DCh) apresenta patogênese inflamatória, exibindo no coração um processo difuso que pode se manifestar tanto na fase aguda quanto na fase crônica. Esta inflamação cardíaca pode desencadear o processo de fibrose, uma das manifestações mais significativas da cardiopatia chagásica crônica. Além disso, lesões inflamatórias do sistema nervoso entérico induzem perda de neurônios e células gliais, sendo consideradas fundamentais na patogênese da forma digestiva da DCh. Sendo assim, torna-se importante a busca por um tratamento capaz não apenas de eliminar o parasito, mas também de reduzir o processo inflamatório associado. Desta forma, o objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito do tratamento com o inibidor de protease do tipo Bowman-Birk (BBI), potente inibidor da inflamação pelas vias COX-2/PGE-2 e iNOS/NO, e do BBI associado ou não ao benznidazol (BNZ) na infecção experimental pelo Trypanosoma cruzi em camundongos. Primeiramente foi realizada avaliação in vitro da atividade do BBI sobre as formas tripomastigotas e amastigotas do T. cruzi e, posteriormente, a avaliação in vivo. Neste sentido, 240 camundongos Swiss, machos, com 30 dias de idade foram distribuidos em cinco grupos: não infectado e não tratado (CNI); infectado e não tratado (CI); infectado e tratado com BNZ (BNZ); infectado e tratado com BBI (BBI); infectado e tratado com BNZ e BBI (BNZ/BBI). Os animais infectados foram inoculados intraperitonealmente com 500 formas tripomastigotas sanguíneas da cepa Y. Para o tratamento foi empregado 100 mg/kg de peso corporal de BNZ e/ou 3mg de BBI via gavagem, por 20 dias consecutivos, a partir do primeiro dia em que foi identificada parasitemia no exame de sangue a fresco, sendo seis animais de cada grupo infectado utilizados para a avaliação da parasitemia e mortalidade diária. No 10º, 20º, 30º e 120º dia após infecção (DAI) seis animais de cada grupo foram necropsiados para a coleta de sangue, coração e cólon. O sangue foi utilizado para a realização de imunofenotipagem do sangue periférico e os órgãos foram submetidos a avaliação da carga parasitária, da histologia (processo inflamatório e neoformação de colágeno) e dos níveis teciduais de citocinas. Em relação à avaliação in vitro, foi verificado que o BBI apresentou-se inativo nas concentrações de 40 à 320 μg/mL. Já em relação à avaliação da parasitemia, observou-se que, in vivo, o BBI também não apresentou ação tripanomicida, assim como na avaliação do parasitismo tecidual, em que os animais do grupo tratado apenas com BBI não controlaram o parasitismo, ao contrário dos animais tratados com BNZ. Já os animais tratados com BNZ e BBI controlaram o parasitismo tecidual na fase aguda da infecção, porém no 120º d.a.i. observou-se a presença de parasitos em alguns animais deste grupo. Ao avaliar o sangue periférico, os resultados obtidos neste trabalho mostraram que no 10º DAI houve redução no percentual das células NK no grupo tratado com BBI e CI em relação ao grupo CNI. Além disso, foi demonstrado neste tempo redução no percentual de monócitos CD14+ no grupo BBI em relação aos demais grupos tratados. Já no 20º DAI foi observada redução no percentual de células B nos grupos tratados, assim como aumento do percentual de células TCD8+ no sangue periférico de todos os grupos infectados e tratados, sendo o percentual destas células normalizado no 30º DAI. Ao realizar a avaliação histopatológica, apesar de não ter sido observada nenhuma diferença significativa entre os grupos em relação à neoformação de colágeno, observou-se redução no processo inflamatório tanto no grupo BNZ quanto no BNZ/BBI, sendo que o tratamento com o BNZ associado ao BBI permitiu que esta redução ocorresse no 20º DAI, enquanto nos animais tratados apenas com BNZ o processo inflamatório apresentou-se reduzido somente no 30º DAI. Em relação aos níveis de citocinas no tecido cardíaco, observou-se no 10º DAI aumento no percentual de IFN-e MCP-1 nos animais tratados apenas com BBI. Dessa forma, conclui-se que o BBI, apesar de seu efeito imunomodulador, não se mostrou benéfico no tratamento da doença de Chagas, provavelmente por não permitir o estabelecimento de uma resposta imune eficaz contra o T. cruzi.
Resumo em outra língua: The DCh has a inflammatory pathogenesis, exhibiting a diffuse component in the heart that can manifest in both the acute and the chronic phase. This heart inflammation can trigger the process of fibrosis, one of the most significant manifestations of chronic Chagas disease. In addition, inflammatory lesions of the enteric nervous system induce loss of neurons and glial cells being considered fundamental in the pathogenesis of the digestive form of DCh. Thus, it becomes important to search for a treatment capable of not only eliminate the parasite, but also to reduce the associated inflammation. Thus, the aim of this study was to evaluate the effect of treatment with the protease inhibitor Bowman-Birk type (BBI), a potent inhibitor of inflammation by COX-2 / PGE-2 and iNOS/ NO pathways, and benznidazole (BNZ) association with BBI along the Trypanosoma cruzi infection, on the inflammatory process. We first carried out an assessment in vitro of the BBI activity on trypomastigotes and amastigotes of T. cruzi and subsequently the evaluation in vivo. To this end, 240 male Swiss mice, 30 days old were divided into five groups: non-infected and untreated (CNI); infected and untreated (CI); infected and treated with BBI (BBI); infected and treated with BNZ (BNZ); infected and treated with BBI and BNZ (BNZ/BBI). The infected animals were inoculated intraperitoneally with 500 blood trypomastigotes of Y strain. For the treatment was employed 100 mg / kg body weight of BNZ and / or 3mg of BBI via gavage, during 20 days, from the first day on which was identified parasitaemia on the examination of fresh blood. Six animals from each infected group was used for evaluation of parasitemia and mortality daily. On the 10th, 20th, 30th and 120th day after infection (DAI) six animals from each group were necropsied to collect blood, heart and colon. The blood was used for the realization of immunophenotype of peripheral blood and the organs were subjected to evaluation of parasitic burden, histology (inflammation and collagen neoformation) and tissue levels of cytokines. Regarding the in vitro evaluation, BBI presented himself inactive in the same concentration or in concentrations of less than 320 ug / mL. Regarding the evaluation of parasitemia, it was observed that, in vivo, BBI did not show trypanocidal action, so as in evaluation of the tissue parasitism in which was observed that animals of the group treated only with BBI were unable to control parasitism unlike animals treated with BNZ. The animals treated with BNZ / BBI controlled tissue parasitism in the acute phase of infection, however it was observed in 120th DAI the presence of parasites in some animals from this group. When assessing peripheral blood, the results of this study showed that in 10th DAI there was a reduction in the percentage of NK cells in the group treated with BBI and CI relative to CNI group. Moreover, at this time it was also observed a reduction in the percentage of CD14+ monocytes on BBI group in relation to BNZ and BNZ / BBI groups. It was also observed a reduction in B cell percentage in the treated groups, as well as increased CD8+ cell percentage in the peripheral blood of all infected and treated groups, in the 20th DAI, and the percentage of these cells returned to normal levels 30 DAI. Upon histopathological evaluation, even though it was not observed any significant difference between groups with respect to collagen neoformation, there was a reduction in the inflammatory process in both BNZ and BNZ / BBI group, wherein the treatment with the BNZ associated with BBI allowed this reduction occurred in the 20th DAI, while the animals of the BNZ group the inflammatory process had been reduced only at 30th DAI. Regarding cytokine levels in cardiac tissue was observed in 10th DAI an increase in the percentage of IFN- e MCP-1 in animals treated with BBI. Thus, it is concluded that BBI, despite its immunomodulatory effect, did not prove beneficial in the treatment of DCh, probably due to non-establishment of an effective immune response against T. cruzi.
Descrição: Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa de Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10015
Licença: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 19/06/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Aparece nas coleções:PPCBIOL - Doutorado (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_EfeitoTratamentoInibidor.pdf2,19 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciado sob uma Licença Creative Commons Creative Commons