Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10008
Título: Avaliação in vitro da atividade protetora de Isobenzofuran-1 (3h)-onas sintéticas sobre cultura primária de neurônios hipocampais submetidos ao estresse oxidativo.
Autor(es): Ribeiro, Iara Mariana Léllis
Orientador(es): Nogueira, Katiane de Oliveira Pinto Coelho
Oliveira, Laser Antônio Machado de
Palavras-chave: Antioxidantes
Radicais livres
Doenças neurodegenerativas
Data do documento: 2018
Membros da banca: Nogueira, Katiane de Oliveira Pinto Coelho
Menezes, Cristiane Alves da Silva
Costa, Daniela Caldeira
Referência: RIBEIRO, Iara Mariana Léllis. Avaliação in vitro da atividade protetora de Isobenzofuran-1 (3h)-onas sintéticas sobre cultura primária de neurônios hipocampais submetidos ao estresse oxidativo. 2018. 73 f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) – Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018.
Resumo: No estado fisiológico do organismo, existe um equilíbrio entre a produção de espécies reativas de oxigênio (ERO’s) e a sua neutralização pelos sistemas antioxidantes. Quando esse equilíbrio é perdido é gerada uma condição conhecida como estresse oxidativo. Essa condição está ligada à patogênese de várias doenças neurodegenerativas, tais como a doença de Alzheimer (DA), pois no quadro de estresse oxidativo, os neurônios são profundamente danificados pelos radicais livres através de um processo denominado peroxidação lipídica. Por isso, os organismos desenvolveram defesas contra as propriedades tóxicas do oxigênio. Uma primeira linha de defesa é proporcionada por um sistema de enzimas antioxidantes e substâncias antioxidantes não enzimáticas. Existem também os antioxidantes exógenos, que podem ser compostos naturais ou sintéticos. As isobenzofuran-1(3H)-onas fazem parte de uma classe de compostos químicos de natureza heterocíclica com atividade antioxidante. Com isso, esse trabalho teve o propósito de avaliar a atividade protetora de isobenzofuran-1(3H)-onas sintéticas em culturas primárias de neurônios hipocampais submetidos ao estresse oxidativo. Para o estabelecimento das culturas foram utilizados embriões de camundongos C57BL/6 com 17 dias de desenvolvimento (E17). Após estabelecimento das culturas, foi analisado a citotoxicidade e a viabilidade celular, a mensuração intracelular de ERO’s e a peroxidação lipídica das culturas tratadas e não tratadas com as isobenzofuran-1(3H)-onas (compostos F12 e F14). A cultura primária de neurônios hipocampais estabelecida apresentou quatro estágios principais de desenvolvimento da célula nervosa, principalmente no que se refere à morfologia. No teste com o MTT foi observado que, nas células tratadas, a citotoxicidade foi menor nas três concentrações analisadas, 50 μM, 100 μM e 150 μM, sendo essa citotoxicidade ainda menos na concentração de 100 μM. No ensaio de viabilidade celular, as culturas previamente tratadas tiveram amento no número de células vivas, sendo esse aumento mais evidente, na concentração de 100 μM, dos dois compostos. Na análise dos níveis intracelulares de ERO’s os resultados encontrados mostram que o pré-tratamento com os compostos foi capaz de diminuir os níveis de ERO’s. A intensidade da fluorescência verde do composto BODIPY581/591 C11 foi significativamente reduzida nas culturas previamente tratadas com os compostos F12 e F14 nas três concentrações. Sendo assim, esse estudo demonstrou um bom desempenho das isobenzofuran-1(3H)-onas como antioxidantes e sugere que os compostos F12 e F14 podem representar um componente adicional na terapêutica para o tratamento de distúrbios neurodegenerativos, que são impulsionados pelo aumento da produção de ERO´s. Entretanto, mais estudos são necessários para elucidar os mecanismos envolvidos na ação das isobenzofuran-1(3H)-onas.
Resumo em outra língua: In the physiological state of the organism, there is a balance between a production of reactive oxygen species (ROS) and their neutralization by the antioxidant systems. When this balance is lost, a condition known as oxidative stress is generated. This condition is linked to the pathogenesis of several neurodegenerative diseases, such as Alzheimer's disease (AD), because in the framework of oxidative stress, neurons are deeply damaged by free radicals through a process called lipid peroxidation. Therefore, organisms have developed defenses against the toxic properties of oxygen. A first way of defense is provided by a system of antioxidant enzymes and non-enzymatic antioxidant substances. There are also exogenous antioxidants, which may be natural or synthetic compounds. Isobenzofuran-1 (3H) -ones are part of a class of chemical compounds of heterocyclic kind with antioxidant activity. The aim of this study was to assess the protective activity of synthetic isobenzofuran-1 (3H) -ones in primary cultures of hippocampal neurons submitted to oxidative stress. For the establishment of the cultures, embryos from C57BL/6 mice with 17 days of development (E17) were used. After the establishment of the cultures, was evaluated the cell citotoxicity and viability, intracellular measurement of ROS and lipid peroxidation of the treated and untreated cells with isobenzofuran-1 (3H)-ones (compounds F12 and F14). The primary culture of hippocampal neurons presented four main stages of nerve cell development, especially regarding to morphology. In the MTT test, it was observed that in the treated cells, the cytotoxicity was lower in the three concentrations analyzed, 50 μM, 100 μM and 150 μM, and this cytotoxicity was lower in the concentration of 100 μM. In the cell viability assay, the pre-treated cultures had an increase in the number of live cells. This increase was more evident in the concentration of 100 μM of the two compounds. In the intracellular levels of ROS analysis, the results show that pretreatment with the compounds was able to decrease ROS levels. The BODIPY 581/591 C11 green fluorescence intensity was significantly reduced in the cultures previously treated with compounds F12 and F14 at the three concentrations. Thus, this study demonstrated a good performance of isobenzofuran-1 (3H) -ones as antioxidants and suggests that compounds F12 and F14 may represent an additional component in therapy for the treatment of neurodegenerative disorders, which are driven by increased production of ROS. However, further studies are needed to elucidate the mechanisms involved in the activity of isobenzofuran-1 (3H) -ones.
Descrição: Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia. Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas, Pró-Reitoria de Pesquisa de Pós Graduação, Universidade Federal de Ouro Preto.
URI: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/10008
Licença: Autorização concedida ao Repositório Institucional da UFOP pelo(a) autor(a) em 13/06/2018 com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho desde que sejam citados o autor e o licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação.
Aparece nas coleções:PPBIOTEC - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_AvaliaçãoVitroAtividade.pdf1,42 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciado sob uma Licença Creative Commons Creative Commons